SERVOS SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS (2) VENCEM O MEDO


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 22.09.13

 

TEXTO BÁSICO – NEEMIAS 6
“(...) Um homem como eu fugiria? (...)” Neemias 6:11


INTRODUÇÃO
Na primeira mensagem dessa série, pregada em 08/09/13 - SERVOS SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS (1) FAZEM A OBRA DE DEUS, vimos que a vida cristã é uma vida de missão e serviço, uma missão maravilhosa, agradável, edificante e essencial. Somos servos de Deus, e servos uns dos outros. Deus não nos salvou para a ociosidade, mas para a realização de Sua obra: a missão de levar o Evangelho aos perdidos, e cuidar da edificação espiritual dos que se converterem, ajudando-os a se tornarem servos do Senhor.

Vimos que para sermos servos segundo o coração de Deus, precisamos:
1.    Discernir a grandiosidade da obra de Deus;
2.    Priorizar a obra de Deus
3.    Não perder o foco, mas ter determinação e não parar, não retroceder.

Hoje vamos dar continuidade a essa série, pregando a segunda mensagem, onde falaremos acerca da coragem de Neemias, capacidade essa que todos os servos de Deus precisam desenvolver ao longo da caminhada da fé.

EXPLICAÇÃO
Esdras e Neemias formavam, originalmente, um único livro composto por uma variedade de fontes históricas, inclusive pelas memórias pessoais de Esdras e Neemias. Conforme a tradição judaica, Esdras foi o responsável pela compilação desse material na sua forma atual.

Considerando como válida a opinião tradicional sobre a autoria, essas narrativas foram escritas durante o período de 430-400 a.C., para encorajar os judeus que haviam retornado do exílio da Babilônia, e estavam restabelecendo a sua comunidade em Jerusalém.

O autor, Neemias, desenvolve o tema principal do livro: Deus opera soberanamente por meio de agentes humanos responsáveis, a fim de realizar o Seu projeto redentor. Há uma atenção especial à reconstrução e edificação das muralhas defensivas de Jerusalém, e à reconstrução de todo o povo chamado “Israel” em seu relacionamento pessoal com Deus, cuja base é a Aliança de Deus com o Seu próprio povo. (BEG, pg.550).

ARGUMENTAÇÃO

Sentir temor diante de algum perigo, ou um desafio, não é pecado. Pecado é render-se ao medo, acovardar-se. Covardia é falta de coragem, medo, timidez, FRAQUEZA DE ÂNIMO (Dic.Aurélio). Os grandes sinais de covardia: parar de fazer o que o Senhor nos mandou fazer, e fugir, se afastar, se ausentar de suas obrigações. Nesse aspecto, a covardia tem diversos disfarces: falta de tempo, cansaço, gripe, dor de cabeça, indisposição, diarreia, etc. Neemias foi um servo segundo o coração de Deus porque ele não se acovardou diante de diversas situações que veremos a seguir, onde seus inimigos tentaram intimida-lo. Tracemos um paralelo com as nossas vidas.

OS SERVOS SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS NÃO SE ACOVARDAM
“(...) Um homem como eu fugiria? (...)” Neemias 6:11


1 – Diante do perigo (vs.2)
Sambalate e Gesem pareciam amistosos, mas eram homens malignos e perigosos. Quando eles chamaram Neemias para se encontrar com eles no Vale de Ono, estavam armando uma cilada contra ele, e ele sabia que sua vida corria perigo (vs.2b). O Vale de Ono era o lugar mais distante da segurança de Jerusalém, sem sair do país. No entanto Neemias não se acovardou, não parou a obra que fazia, e tampouco fugiu. A resposta dele está no vs.3:

“Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?”

Você já se sentiu tentado a acovardar-se, parar e desistir? Calma, você não é o (a) único (a); creio que todos já passamos por isso.

Como vencer diante do perigo? Concentre-se no trabalho a ser feito, não dê ouvidos ao inimigo. Não cesse a obra de Deus em tua vida, mas reconheça a presença dEle contigo todos os dias: “Eis que estou convosco todos os dias” (Mt 28:20b).

2 – Diante da insistência do inimigo (vs.4-5)
A insistência de Sambalate era para desconcentrar... Mas Neemias não se acovardou, não se deixou abater, mas permaneceu na sua posição, dando sempre a mesma resposta. Sambalate queria vencê-lo pelo cansaço.

Infelizmente há muitos que se cansam facilmente. O inimigo é insistente, mas nós temos que ser mais ainda. Persevere, insista, não se deixe vencer diante da insistência das más companhias. Fique firme no Senhor! Sabemos que o inimigo vai nos tentar repetidas vezes durante a nossa vida. Por isso Deus nos manda desenvolver a qualidade da perseverança (Ef 6:18). e da longanimidade (Gl 5:22).

O inimigo vai insistir? E daí? Eu insistirei mais ainda na minha fé na graça de Deus.

3 – Diante de maledicências (vs.6-7)
Essa foi outra estratégia dos inimigos de Neemias: mentiram a respeito dele e do povo, dizendo que ele intentava tornar-se rei e juntamente com o povo iriam rebelar-se (vs.6). Também disseram que ele havia subornado profetas em Jerusalém para dizer que ele seria rei (vs.7). De certo modo essa acusação era plausível, visto que os muros estavam sendo reedificados, e Judá tinha antecedentes de rebeliões contra os seus senhores, e Neemias era um líder habilidoso e apaixonado por sua terra natal. Porém eram mentiras que os inimigos diziam para tentar intimidá-lo.

A resposta de Neemias veio no vs.8: “Porém eu mandei dizer-lhe: De tudo o que dizes coisa nenhuma sucedeu; mas tu, do teu coração, o inventas.” Só isso!

Não podemos dar atenção às mentiras que o inimigo tentar semear a nosso respeito. Mais importa permanecer na vontade de Deus, porque se formos tentar nos justificar, perderemos tempo precioso e paralisaremos a obra do Senhor. As mentiras e maledicências podem tirar servos de Deus do centro da Sua vontade. Infelizmente há muitos que pararam de fazer a obra por causa de mentiras.

“16  Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a Sua alma abomina: 17  Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, 18  O coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, 19  A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.” Provérbios 6:16-19.

4 – Diante do medo (vs.9a)

Neemias sabia que o intento de seus inimigos era que ele sentisse medo, e as suas mãos largassem a obra (vs.9a). Mais uma vez Neemias soube responder à altura: “(...) Um homem como eu fugiria? (...)” Neemias 6:11.

O medo paralisa a pessoa que se deixa dominar por ele. Essa tática continua sendo usada pelos inimigos de Deus. Mas ninguém gosta de assumir que sente medo, ninguém quer se parecer com um covarde. Por isso muitos usam os disfarces do medo.

Mas quando nos defrontamos com as nossas deficiências, percebemos o quão frágil somos. E quando nos cansamos de ser covardes diante de um inimigo tão astuto, então precisamos fazer alguma coisa para vencer o medo. Neemias venceu o seu medo do modo correto; não se meteu a “valentão”, não deu uma de “super-herói”, mas reconheceu sua pequenez, orou e confiou na providência de Deus: “Agora, pois, ó Deus, fortalece as minhas mãos.” Ne 6:9b.


5 – Diante de ameaças (vs.10)
Então aparece o profeta Semaías que diz a Neemias que de noite os inimigos viriam mata-lo. Isso era uma ameaça, visto que não era Deus falando através do profeta, mas Sambalate e Tobias que o haviam subornado (vs.12). Era um recado do inimigo. Essa talvez tenha sido a tentativa mais direta daqueles homens que desejavam despertar o medo com ameaças.

Não sei qual é os seu ponto fraco, mas preciso saber bem qual é o MEU ponto fraco, pois é aí que o inimigo vai tentar nos destruir. Estejamos atentos. Quando Pedro pensou que estava firme e que enfrentaria a própria morte por sua fé, Jesus o alertou dizendo que ele O negaria três vezes ainda naquela noite (Mc 14:30).

“Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” Romanos 12:3.

Cuidado com o medo! O medo paralisa, desanima, engessa, trava a pessoa. O medo é um ladrão, ladrão de sonhos e ideais. O medo tem tirado de muitos crentes os sonhos que Deus quer plantar nos corações: medo de não ser feliz, medo de não ter amigos, medo de perder alguma coisa por servir a Deus. São mentiras que satanás tem semeado em muitos corações. Não dê ouvidos à sua voz maligna. Acredite no amor de Deus, creia nas promessas que Ele fez.

“E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe ou mulher, ou filhos, ou campos, por causa do Meu nome, receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna.” Mateus 19:29.

6 – Diante das artimanhas do inimigo (vs.10-11,13-14)

6.1 – Difamação

A estratégia final de Sambalate e seu asseclas, era tentar de todos os modos difamar e desacreditar Neemias. Esse é o sentido do vs.13 “infamar” = difamar, e “vituperar” = desacreditar. Se eles conseguissem fazer com que o servo de Deus fosse mal visto pelo povo, certamente eles não aceitariam mais a sua liderança. Foi assim que eles subornaram o profeta Semaías, para que ele tentasse fazer Neemias entrar no Templo para se esconder dos inimigos: “Vamos juntamente à Casa de Deus, ao meio do templo, e fechemos as portas do templo; porque virão matar-te; aliás, de noite virão matar-te” (vs.10).

A resposta de Neemias foi taxativa: "Porém eu disse: homem como eu fugiria? E quem há, como eu, que entre no templo para que viva? De maneira nenhuma entrarei." (vs.11). Neemias não tinha permissão para entrar no Templo, propriamente dito, visto que ele não era um sacerdote (Nm 18:7). (BEG, pg.557). Além disso ele passaria por um líder covarde, e assim colocaria em risco a liderança do povo de Deus, que ele havia recebido do próprio Senhor.

Todos nós, especialmente os líderes, precisamos velar por nossa reputação, nosso nome diante da sociedade, da família, e da própria Igreja. O maior tesouro que temos não é dinheiro, ouro ou prata, mas o nosso bom nome. Ele reflete o próprio Senhor que habita em nós. O crente que tem má reputação envergonha o Senhor. Por isso que satanás continua agindo em nossos dias, usando a antiga estratégia da difamação. Foi assim que o Senhor Jesus foi perseguido, preso, julgado, e condenado. E foi ele mesmo Quem nos alertou que o servo não e maior que o seu Senhor. Nós poderemos ser perseguidos, difamados, caluniados por causa do nome do Senhor. Se assim acontecer, que seja por causa da nossa piedade (2 Tm 3:12), e não por sermos culpados.

“5.10   Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. 5.11   Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. 5.12   Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.” Mateus 5:10-12.

6.2 – Mágoa - amargura - rangor

Após ter certeza de toda essa trama, Neemias não guardou (não fermentou) ódio aos seus inimigos, não desejou a vingança, não os perseguiu. Neemias os entregou nas mãos de Deus em oração (vs.14).

Você é daqueles que guardam mágoa no coração? A mágoa, amargura, quando guardados no coração, transformam-se em ódio e rancor. É um pecado terrível que sufoca a nossa fé, e rouba de nós toda alegria de servir a Deus.

Lembremos que é a quebra dos dois primeiros grandes mandamentos, o resumo de toda Lei e dos Profetas.

“22.36   Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? 22.37   Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 22.38   Este é o grande e primeiro mandamento. 22.39   O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 22.40   Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” Mt 22:36-40.

Lembremos também que quem guarda mágoa e não perdoa, se auto amaldiçoa quando faz a oração do Pai Nosso: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores.” Mt 6:12.

Se você não perdoa, está dizendo para Deus não te perdoar! “Pai não me perdoe, porque eu não perdoo meu irmão, estou Te dizendo que não quero ser perdoado.”
E tem mais: o Senhor Jesus ensinou aqui como devemos orar. Oração é ação! Está revelado que Deus nos perdoa se perdoarmos. Ora, a oração só tem sentido se formos perdoados por Deus, e Ele mesmo nos mostra nesse texto que o Seu perdão é condicional: Ele nos perdoa se perdoarmos.

O PERDÃO É ESSENCIAL na vida cristã, especialmente na vida daqueles servos que desejam agradar o coração do Pai Eterno. Quem tentar viver a vida cristã com mágoas no coração, não conseguirá ir muito longe, não conseguirá perseverar na fé.

A mágoa tem destruído muitas vidas e ministérios. É grande a quantidade de crentes (até líderes) desviados por causa da mágoa. Continua sendo uma das armas preferidas de lúcifer. Quando um crente agasalha a magoa e a amargura no coração, o inimigo percebe isso, e vai insuflar ainda mais esse sentimento maligno e terrivelmente destruidor. Muito cuidado! “Perdoai e sereis perdoados”, disse o Senhor. Se você diz que ama a Deus e guarda mágoa de seu irmão, deveria meditar mais em 1 João 4:20.

“Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a Quem não vê.” 1 Jo 4:20.

Faça como Neemias fez: não caia nas armadilhas do diabo. Ore, ame o seu inimigo e ore por aquele que te persegue (Mt 5:44). Mas essa é uma atitude de servos corajosos, não de covardes. É preciso uma boa dose de coragem para vencermos as mágoas e amarguras que a vida traz.

CONCLUSÃO
 

A Palavra de Deus é enfática em Apocalipse 21:8, ao dizer que:

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.”

Por quê? Certamente porque os covardes não vão permanecer na presença de Deus. Os covardes estão sempre fugindo, se escondendo, armando ciladas para destruir os filhos de Deus. Os covardes são comparsas de satanás, jogam no time contrário e inimigo do povo de Deus. Podem até se esconder e disfarçar, mas se não tomarem uma posição, logo serão julgados por Deus.

Cabe a cada um de nós lutar contra a covardia, mesmo enfrentando perigos, a insistência do inimigo, maledicências, medo, ameaças, difamações, artimanhas, sutilezas, e as mágoas.

Sejamos como Neemias, perseverantes, piedosos, humildes, esforçados, confiantes em Deus, amorosos, e sempre corajosos diante do nosso Senhor.

Que Deus nos abençoe!

Material de apoio: BEG – Bíblia de Estudo de Genebra.


 
SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT