O PODER DA RENÚNCIA


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Pastoral Boletim 09.06.13

“Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal.” João 17:15.


A oração sacerdotal de Jesus (está em João 17, leia!) é reveladora e inspiradora. Em Seus momentos finais de vida, Jesus orou ao Pai Celestial, rogando em nosso favor. Essa oração expressa o sentimento e a compaixão do Senhor Jesus por Sua Igreja. Mesmo estando prestes a ser traído, preso, humilhado, torturado e morto na Cruz em nosso lugar, Jesus Se preocupou conosco e intercedeu por todos nós. “Nessa grandiosa oração, o Senhor ora por: Sua própria glorificação (vs.2,5); a proteção dos crentes (vs.11); a santificação dos crentes (vs.17); a unidade dos crentes (vs.21-23); a glorificação definitiva dos crentes (vs.24).” (A Bíblia Anotada). A intercessão de Cristo é pela Igreja de todos os tempos. Nós também somos alvo dessa oração intercessória de Cristo, pois é por Seu povo que Ele intercedeu e intercede diante do Pai (1 Jo 2:1-2).

Para viver dentro da vontade do Senhor demonstrada nessa oração, é preciso descobrir o poder da renúncia. Quando Ele pede que Pai Celestial nos guarde do mal, devemos tomar para nós o dever de sermos guardados do mal, em suas diversas faces e manifestações. Para isso necessitamos renunciar ao mal, isto é, tudo aquilo que se antepõe entre nós e Deus; isso é ser guardado do mal, enquanto estamos no mundo. Quando o Senhor nos levar, habitaremos com Ele na eternidade; e naquele lugar santo e maravilhoso não existe mal, seja físico, emocional ou espiritual. Mas enquanto aqui estivermos, necessitamos renunciar ao mal, o mal que está dentro de nós, e o mal que está no mundo.

O povo de Deus está no mundo, porém não somos do mundo (vs.16). Somos de Deus, somos do Céu! Lá está nossa morada eterna, nosso país, nossa pátria; o mundo é para nós uma passagem, um tempo e um lugar de peregrinação e missão (vs.18). Para cumprirmos essa missão precisamos renunciar ao mundo, e tudo que há no mundo e que desagrada a Deus. O mundo é um lugar de trevas e pecado, onde o diabo que é o príncipe desse mundo (Jo 14:30), é servido e adorado; e o pecado é a adoração e o serviço que o mundo presta a satanás. Obs.: o mundo do qual falamos não é a natureza, nem as pessoas, mas o mundo de pecado e sistemas de pecado.

Jesus deu a Sua vida por nós. Na Cruz do Calvário Ele provou o Seu eterno e santo amor. Isso é inquestionável biblicamente, não questionemos jamais o amor do Senhor! As coisas com as quais Ele Se preocupou naqueles momentos finais de vida na Terra revelam o Seu amor, na Sua intercessão por nós. Creiamos que Ele, em Seu eterno poder, nos garante que se crermos, teremos tudo isso que Ele orou ao Pai. A vitória de Jesus nos garante a vitória! Ele morreu e ressuscitou para que pudéssemos viver dentro dessa perspectiva, dentro dessa visão, na vontade do Pai.

Honremos o nosso Deus renunciando ao nosso próprio “eu”, nosso pecado interior, nossa natureza pecaminosa e rebelde. Honremos ao nosso Deus renunciando ao mundo de pecado e sistemas de pecado e morte. O Senhor Jesus está presente aqui. Creiamos, Ele nos prometeu estar conosco todos os dias. Honremos a Ele nesse tempo. Ele fez tudo por nós: pagou alto preço por nós, sofreu a nossa culpa, limpou-nos de nossos delitos e pecados, quebrou toda maldição que estava sobre nós. Além de realizar plena e gloriosamente a Sua obra de salvação, Ele também intercedeu e intercede por nós. Que sejamos constrangidos por Deus ao ponto de agradecermos por Sua intercessão, e aprendermos o poder da renúncia, poder que provém dEle, que nos capacita e ajuda a receber e descobrir esse poder que é libertador e transformador.


"Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser Meu discípulo." Lucas 14:33. 

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT