SOMOS HERANÇA DO SENHOR


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 23.06.13
 


TEXTO BÁSICO - SALMOS 127-128 
“Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, Seu galardão.” Salmos 127:3.

INTRODUÇÃO 


Na mensagem de 19/05/13 - DEUS, O FUNDAMENTO DA FAMÍLIA FELIZ - refletimos neste maravilhoso capítulo do Livro de Salmos, que trata da família cujo fundamento é Deus. Esse lar é feliz porque Deus o edifica, protege e guarda, sustenta e concede contentamento. Aos pais é dada a incumbência de cuidar e amar os filhos, pois estes pertencem ao Senhor, e um dia o Senhor nos pedirá contas.

Mas há aqui também um recado que não pode passar despercebido: os filhos são herança e galardão do Senhor na vida de seus pais. Isso é muito profundo e revelador, por mostrar qual é a identidade dos filhos, quem eles são (ou deveriam ser) diante do Senhor. Uma vez que todos somos filhos a mensagem cabe a todos nós: temos o dever de ser, na prática, a herança e o galardão do Senhor para com nossos pais. Uma vez que todos nós somos filhos, esse é um alvo a ser perseguido por todos nós: sermos herança de Deus na vida de nossos pais.

A pergunta que se faz é: que tipo de herança somos nós???

Na vida cristã somos movidos a perseguir os alvos propostos por Deus a nós. Somos benção, de Deus, sal da Terra e luz do mundo, somos filhos e não bastardos, somos herança do Senhor! Não se trata de algo mágico, fora da realidade, da nossa vontade, força, querer, entendimento. Nosso alvo é Cristo, a esperança da glória. Ser aquilo que Deus quer que sejamos é Cristo em nosso viver. Do contrário nos limitamos a viver de acordo com o nosso próprio querer, sem esforço, sem luta, sem alvo. Uma vida espiritual dúbia, uma coisa na Igreja, outra em casa. Nossa jornada começa aos pés do Senhor e assim prossegue.

ARGUMENTAÇÃO

1 – HERANÇA DE ALEGRIA E PRAZER
“Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma.” Provérbios 29:17.


Os filhos tem o dever de ser uma herança de alegria e prazer aos seus pais. Esse é o sentido de “delícias”. Não há maior alegria e sentimento mais gratificante para os pais, do que verem os filhos crescerem e perseverarem nos caminhos do Senhor. É triste desgastante quando os pais observam que os filhos tem outra personalidade no lar, diferente daquela apresentada na Igreja. Cabe aos filhos descobrirem em seu cotidiano próprio, onde eles podem (e devem) trazer prazer e alegria aos pais, ao invés de tristeza e amargura.

Alguns exemplos comuns a todos filhos: serem obedientes e ajudadores, cuidando de seus pertences e administrando corretamente o tempo – quarto, roupas, livros, cadernos, limpeza doméstica, compras no supermercado, estudos, trabalho. De certo modo essas são dificuldades comuns a todos os filhos, mas se não vencerem tais obstáculos, correm o sério risco de no futuro serem filhos omissos em coisas mais sérias quanto ao bem estar, saúde e a felicidade de seus pais, ou na sua velhice e necessitarem de um apoio, um auxílio...

Como é bom aos pais verem que o esforço, trabalho, ensino e educação não foi em vão, mas que eles aprenderam a lição e estão dispostos a servir a Deus de coração, voluntariamente, espontaneamente. Vê-los se preocupando com o seu próprio amanhã, estudando e se preparando para o mercado de trabalho. Notar que eles seguem os conselhos nas decisões mais importantes da vida.

Pensemos naquilo que pode dar prazer aos nossos pais. Cada um conhece o pai e a mãe que tem, o que eles gostam, o que eles amam, o que lhes agrada. Ser uma herança de alegria é tentar de todos os modos satisfazer esses anseios da alma daqueles que se esforçaram para lhes conceder a própria vida.

As mães ficarão maravilhadas ao receberem flores de seus filhos, no Dia das Mães, ou no dia de seu aniversário... Um cartão com dizeres simples, porém carregados de sentimentos de amor. “Mãe, eu te amo!” “Mamãe, a senhora é uma bênção!” “Sou-lhe eternamente grato (a)!”

Os pais certamente se sentirão realizados ao notarem que seus filhos são seus amigos, que confiam neles, em sua liderança, em seus princípios, que são seus amigos. Na prática isso pode acontecer através de um pedido de conselho, ou em um segredo contado e compartilhado. Geralmente as meninas conversam mais com suas mães, e os filhos com os pais, mas não é uma regra absoluta, observando-se os limites normais, obviamente. Saber que os filhos confiam nos pais e são seus amigos, é grandiosa fonte de prazer e alegria.

Mas a maior lição de todas, que quando aprendida pelos filhos, trará maior prazer aos pais, é seguir o Caminho de Cristo. Não há maior tristeza para os pais verem que seus filhos desprezam o Senhor, e a fé em Deus que um dia trará os filhos de volta ao Caminho da Salvação é que sustenta os pais diante de tais situações. Em contrapartida, não há maior alegria e sentimento de realização aos pais, do que verem que seus filhos conhecem a Deus, amam e obedecem a Deus de coração, que a lição foi aprendida na prática, e que todo esforço não foi em vão.

Portanto filhos, sejam verdadeiros servos de Deus, sigam a Cristo de coração, e isso encherá o coração de seus pais de alegria e prazer. Isso é dar delícia à alma deles. Ore por seus pais. Você está tão perto deles, conhece tanto as necessidades deles, então ore por eles, interceda, clame a Deus pela vida deles, e saiba que Deus estará usando você poderosamente na vida de seus pais.

2 – HERANÇA DE UNIÃO
“(...) teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa.” Salmos 128:3b.


Os pais sentem-se felizes e realizados ao verem seus filhos unidos. Estar à volta da mesa representa a união da família. Diferente de lares onde reina a discórdia, a herança do Senhor traz paz e união. “Rebentos da oliveira” é fruto; os filhos devem ser um fruto de bênção, amor, esperança e paz na vida de seus pais. É triste quando os pais veem seus filhos crescendo brigando, sendo inimigos uns dos outros. Mas é maravilhoso ver que eles são amigos uns dos outros. A união da família é mantida através de tais valores. A amizade na família é o fruto dessa união, uma das grandes alegrias que os filhos devem trazer para seus pais.

No caso de filhos únicos a dinâmica muda um pouco, mas nesse caso os filhos serão muito mais unidos com seus pais. Eles serão o centro das atenções, uma vez que não há mais filhos com os quais os pais devam dividir sua atenção.

Estar à roda da mesa nos remete aos momentos das refeições, em que as famílias sentam-se juntos para esse momento sagrado. Em nossos dias é difícil, ou até impossível, praticar isso diariamente. Restam apenas os sábados e domingos que precisam ser valorizados. Um conselho de amigo: desligue a TV na hora das refeições, deem atenção uns aos outros, conversem, sejam amigos, brinquem, riam, se for necessário chorem uns com os outros... É isso que os amigos fazem. Não tem problema curtir algo em um momento de lazer, mas a união precisa ser trabalhada, especialmente nesses momentos tão sagrados.

O texto fala diretamente aos filhos, e não é por acaso. Filhos, tentem, se esforcem por terem um lar unido em Cristo, unidos com seus pais. Porque se não for assim não haverá paz e amizade, mas discórdia, amargura e até ódio. O que mantém a família unida? O perdão, o amor, a Palavra de Deus como regra de fé e prática. Isso mantém a família unida.

Filho solteiro, se esforce para que seus pais vejam, notem, saibam que você é unido com eles, de coração. Haverá situações difíceis em que as ideias não batem muito. Mas os filhos podem contornar essas situações sabendo que os seus pais amam você. Não precisa brigar, mas conversar. Os pais devem abrir o diálogo para que haja uma linha de comunicação. Em alguns momentos os filhos falam como se eles fosse os pais, e os pais fossem seus filhos, expressando-se em um tom de voz agressivo. Nessas horas os pais devem orienta-los a moderarem-se e então retomarem as conversas. Lembre filho, respeito, fruto do amor, é primordial para que se mantenha a família unida. E se os seus pais estiverem nervosos, dê um tempo, deixe eles se acalmarem. Talvez o nervosismo deles seja justamente por sua causa, por cuidarem de ti e procurarem o melhor para você. Talvez seja devido ao modo como você os trata. Então semeie respeito e amor aos seus pais, você vai colher amor e respeito deles, e vocês serão unidos de alma e coração.

Muitas vezes o único recurso que os pais têm para manter um ambiente de ordem em casa, é negar algumas coisas para aquele filho (a) que não quer seguir as regras. É preciso que os entendam desde cedo a lei da “causa e efeito”, onde tudo que eles fizerem terá um resultado positivo ou negativo. Outra norma da vida que vale a pena aprender logo é que “quem pode manda, e quem é inteligente obedece”. Isso pode parecer ridículo, mas funciona e muito bem. Senão, como sentar-se a roda da mesa? Então filho, entenda seus pais, eles têm sobre si a incumbência de manter sua família unida, e eles farão isso a qualquer custo, ainda que você num primeiro momento não consiga aceitar muito bem aquilo que eles dizem. Depois você entenderá e verá quão árduo, muitas vezes, é criar filhos.

Algumas estratégias aos filhos, que podem melhorar a união da família: fale em um tom de voz suave, legal, converse numa boa. Se o momento não é oportuno, deixe para falar depois. Não imponha nada aos seus pais, antes, peça, isso funciona! Faça as suas obrigações cotidianas do lar, seja um filho bom e amável, isso vai trazer para você um “no hall”, isto é, você será bem visto por seus pais. Seja sábio, inteligente, lute pelo lado certo, o lado de sua família e não contra ela. Veja-se como o centro avante do time da sua casa, onde seus pais são os técnicos. Siga as regras, conquiste seu espaço e a confiança deles. Assim a sua família será muito mais unida, o amor e a amizade florescerão, ali será sempre um lugar de paz, porque você é uma herança de união em sua casa.

3 – HERANÇA DE HONRA, AMOR E RESPEITO
“Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa” Efésios 6:2.


Os filhos são chamados a ser uma herança de honra aos pais. Honra traz consigo o amor e o respeito. Nós só honramos se respeitarmos, e só respeitamos de coração, de verdade, se amamos. Não é de faz de conta, é de verdade. Em casa deve haver um sentimento de amor aos pais, que trará consigo a honra e o respeito. Quem não honra e não respeita aos pais, não está amando-os verdadeiramente, ainda que afirme o contrário. Poderíamos parafrasear Ef 6:2 do seguinte modo: “Ame verdadeiramente, na pratica, a teu pai e a tua mãe”.

Certamente os pais investem a sua vida esperando o mínimo em troca: a honra e o respeito. Essa atitude dos filhos, essa herança de Deus demonstra que Deus está presente na vida dos filhos: eles honram seus pais porque Deus assim ordenou. Mas não é nada forçado, não é só porque Deus ordenou; eles também honram seus pais porque os amam. Honrar é amar, e os filhos que verdadeiramente amam seus pais demonstram isso através do respeito, obediência, e no cumprimento de seus deveres. O modo como os filhos tratam seus pais está relacionado diretamente ao fator respeito e honra. No fim, quando os pais se tornarem idosos, os filhos cuidarão deles. Isso também é honrar pai e mãe.


Honrar aos pais é dar atenção a eles, conversar com eles, saber o que eles pensam a respeito de muitas coisas, se eles vão ao médico, quais remédios eles tomam. Os solteiros devem submeter-se aos horários e regras, e sempre manter contato com os pais, telefonando, avisando se já saíram da escola, onde estão indo, com quem estão indo, se podem ir, etc. Aos casados, ir visita-los tirar tempo para estar com eles, ligar diariamente a eles, trocar ideias, interessar-se por eles. Ignorar aos pais é uma das maiores desonras que alguém pode praticar.

Honrar aos pais também é ajuda-los materialmente, financeiramente, saber se eles precisam de algum dinheiro, se suas contas estão em dia. Isso pode parecer estranho em nossos dias, mas num país onde a aposentadoria decresce a cada ano, isso também é honrar pais e mãe. Honrar só de palavras pode ser uma piada. Honrar de verdade é enfiar a mão no bolso e ajudar aos pais quando necessário. Em algumas famílias, casos raros, não será preciso que os filhos os ajudem. Mas na maioria dos casos os pais passam necessidade, e muitos filhos sequer se importam em saber se os pais necessitam de uma ajuda.

“Tudo que o homem semear, isso também ceifará.” Gálatas 6:7.

Se você ver que seus pais estão precisando de alguma coisa, faça, e faça com amor, com alegria, com honra, cumprindo o mandamento do Senhor. Você e uma herança, não de desonra, mas de honra.

CONCLUSÃO

Esses são alguns aspectos daquilo que a Bíblia trata como herança e galardão de Deus na vida dos pais. Observando o mundo em que vivemos, notamos que há dezenas de famílias que estão em total desacordo com o que foi exposto acima. Cabe a cada um dos filhos de Deus ser herança e galardão de Deus na vida dos seus pais. Isso é muito prático e exige a convicção bíblica do chamado, e a submissão de nossa vontade à vontade de Deus.

Assuma sua identidade de filho de Deus, sendo uma herança na vida de seus pais. Ser uma herança, basicamente é orar por seus pais, seus familiares, interceder por eles, clamar a Deus por sua salvação, pois essa é a maior expressão de amor que podemos ter por uma pessoa, especialmente em se tratando de família: preocupar-se com sua salvação, interceder por eles de modo que o Senhor toque em seus corações. Os filhos têm um poder tremendo, que talvez eles mesmos desconheçam: o poder de influenciar seus pais. Você sabia disso? Então, influencie positivamente, amorosamente, espiritualmente!

Seja uma herança na vida de sua família, na vida de seus pais, irmãos, parentes e familiares. Uma herança de alegria, de união e de honra! Deus te abençoe!





SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT