NOSSO ALVO EM COMUM (3) GUARDAR A FÉ


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Porto Ferreira / SP
Culto de Louvor 14.04.13


TEXTO BÁSICO – 2 TIMÓTEO 4:7C
“Combati o bom combate, completei a carreira, GUARDEI A FÉ.”


INTRODUÇÃO
É muito curioso o modo como as pessoas se preocupam em proteger e guardar seus bens materiais. Uma rápida olhada e já vemos como é necessária a segurança de casas, carros, e bens conquistados com luta e esforço durante toda uma vida. Fala-se até que as pessoas vivem presas dentro de seus muros e os bandidos estão à solta nas ruas. Tempos difíceis esses em que vivemos, e a tendência é piorar cada vez mais.

O que mais guardamos na vida? Carteira, documentos, casa, carro, casamento, família, Igreja... Isso tudo é mais que certo guardar...

Se por um lado é sábio e necessário certos cuidados com o que possuímos e guardar bem o que temos de valor, por outro lado isso nos faz pensar nas coisas que devemos guardar e muitas vezes não atentamos para a sua importância.

No texto lido encontramos a terceira e última parte dessa série de sermões, onde o apóstolo Paulo, sob a direção do Espírito de Deus, exorta a cada crente guardar aquilo que tem de mais precioso: A SUA FÉ.

EXPLICAÇÃO
O que significa GUARDAR A FÉ? A que a Palavra de Deus se refere quando coloca diante de nós esse alvo a ser buscado? É necessário dizer primeiramente a que Deus se refere ao ordenar que guardemos a FÉ. A pergunta que se faz é: O QUE É FÉ?
 

Conforme o Dicionário Michaelis, fé é: “crença, crédito; convicção da existência de algum fato ou da veracidade de alguma asserção”.

Exemplos de fé não cristã

Idolatria e paganismo
Nesse sentido podemos dizer que até os idólatras e os pagãos possuem algum tipo de crença, i.e., eles possuem um tipo de fé. Não a fé segundo a Palavra de Deus, obviamente, mas confiam em alguma coisa, um ídolo, um ícone, um objeto, uma imagem, etc.

Seitas
Há pessoas que crêem em alguns líderes religiosos dos mais esquizofrênicos e loucos, como por exemplo o líder da “seita da unificação”, Moon. Aqui no Brasil existem os seguidores do “inri cristo”, um líder religioso, fundador da seita “suprema ordem universal da santíssima trindade”. Ele se diz ser a reencarnação de Jesus Cristo. E assim há tantos e tantos falsos profetas em nossos dias. Mas os seus seguidores acreditam no que eles dizem, e por isso os seguem.

Fé em si mesmo
Fala-se muito também sobre o crer em si mesmo, e isso vai muito além daquele aspecto positivo da auto-confiança, em se tratando de uma personalidade firme. O contrário disso é que há pessoas que são tão inseguras que chegam a ser doentes. O problema está em enfocar tanto o ser humano, como se ele fosse o centro de tudo, e tentar viver independente de Deus.

Fé sem base definida
Existem ainda outros que falam da fé sem, contudo dizer no que crêem, é a chamada “fé na fé”. Esses praticam de tudo um pouco, e geralmente tentam dizer que crêem em Deus sem contudo obedecer-lhe aos mandamentos.

Mas o que Paulo tinha em mente quando disse que havia guardado a fé? Que fé é essa? Ao falar da fé, Paulo tinha em mente “o conjunto autorizado de doutrinas cristãs”. (ABA). Certamente o mesmo que o autor da epístola de Judas tinha em mente em Judas 3:
 

“Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.”

Portanto não é qualquer tipo de fé que devemos guardar, mas a fé cristã, segundo as Escrituras.

ARGUMENTAÇÃO 

Paulo havia guardado a sua fé em sentidos básicos e elementares, que veremos a seguir, e nos quais também nós devemos guardar a nossa fé.

1 – SUBMISSÃO A DEUS 

Guardar a fé, primeiramente é obedecer. Como vimos, a nossa fé está calcada na Bíblia Sagrada, que é a Palavra de Deus. Portanto guardar a fé é vivenciar aquilo em que cremos. Daí provém a constatação de que se não praticamos, obviamente não cremos. Você crê na Palavra de Deus? Então pratique-a!

Guardar a fé, em submissão a Deus, não é tão fácil, requer de nós alguns requisitos.

Requisitos básicos para se guardar a fé em SUBMISSÃO a Deus
 

1.1    Esforço. A obediência tem um preço
“Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.”  Mateus 11:12.

1.2    Busca do conhecimento de Deus. Quem conhece a Deus cresce na fé.
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.  Oséias 4:6a.
“Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.”  Oséias 6:6.

1.3    Crescimento em santidade. Santidade é fruto da fé.
“Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”  Gálatas 5:1.
“Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.”  Gálatas 5:25.
“Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos.”  1 Coríntios 14:20.
“Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.”  Hebreus 5:12.

1.4    Prática, testemunho. Nosso testemunho é nosso cartão de visitas.
“para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”  Filipenses 2:15.
“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.”  Mateus 5:13-16.

1.5    Luta contra o pecado. Este sempre será nosso opositor.
“Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue”  Hebreus 12:4.

1.6     Disposição. Quem está disposto a pagar o preço? A obediência tem um preço,
talvez por isso tantos se afastam e não guardam a sua fé.
“Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.”  2 Timóteo 3:12.

O exemplo de Paulo que muito sofreu para guardar a sua fé
“Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar; em jornadas, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos entre patrícios, em perigos entre gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez. Além das coisas exteriores, há o que pesa sobre mim diariamente, a preocupação com todas as igrejas. Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu não me inflame?”  2 Coríntios 11:24-29.

2 – PREGAÇÃO DO EVANGELHO 

Guardar a fé é pregar o Evangelho puro, sem misturas e sem falsas doutrinas.

A ordem de Cristo
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.”  Marcos 16:15,16.
“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”  Mateus 28:19,20.

A Igreja (e o crente) que não evangeliza precisa se arrepender
“Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.”  Apocalipse 2:4,5.

Basicamente em que deve consistir a pregação da igreja
Seguindo o exemplo de Jesus, e dos apóstolos, devemos nos preocupar em pregar o arrependimento.
“Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.”  Mateus 3:2.
“Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.”  Mateus 4:17.
“O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.”  Marcos 1:15.
“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.”  Atos 2:38.
“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados”  Atos 3:19.

3 – PERSEVERANÇA E DETERMINAÇÃO
Para a complementação da carreira cristã se faz necessária também a perseverança e a determinação na busca do cumprimento desse nosso ALVO EM COMUM. Como falamos no início, muitos começam planos e projetos de vida e não os terminam, mas abandonam os seus projetos nas primeiras crises e dificuldades.

Sem a perseverança jamais conseguiremos completar carreira cristã.

“...esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:13b-14.
“...desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta.” Hebreus 12:1b.

DECISÃO INTERIOR: JAMAIS DESISTIR DE CRISTO E DE SUA PALAVRA
Essa deve ser a nossa decisão mais clara de perseverança. Custe o que custar, aconteça o que acontecer, jamais desistir!

ASSIDUIDADE
Não adianta dizer que somos perseverantes se não somos perseverantes na Igreja.
"Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima." Hebreus 10:25.

VIGILÂNCIA E ORAÇÃO
“vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” Efésios 6:18b.
O que poderia tirar você da Igreja?

CONCLUSÃO
Guardar a fé, portanto, é não se vender aos padrões que estão sendo instituídos na atualidade, mas pregar a Bíblia da maneira mais pura, simples e direta possível. Uma mensagem que o homem carnal não gosta de ouvir. Aliás esse era o tom desta segunda carta a Timóteo.

“Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.”  2 Timóteo 4:1-5.

Paulo combateu o bom combate, completou a carreira e guardou a sua fé. O que isso significa para nós?

 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT