A PALAVRA DO MESTRE - PREDISPOSTO, EU?


Por: Rev. Nelson França

“Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê.” João 1:46.

Penso que, em certa medida, todos nós temos alguma predisposição. Ou seja, uma inclinação para formar uma opinião antecipada; e na maioria das vezes sem os fundamentos ideais para tal consideração. Essa predisposição pode ser formada acerca de pessoas, lugares, profissão ou qualquer outro objeto. E, tanto pode ser negativa quanto positiva. Independente de ser positiva ou não, e às vezes, vir a ser confirmada por fatos, toda predisposição deve ser vista com desconfiança e colocada em xeque. Conduzidas cegamente pelas predisposições, muitas pessoas olham para outras com antipatia e desconfiança; quando na verdade o objeto de desconfiança deveria ser a predisposição.

Este sentimento conduziu Natanael a desconfiar, a princípio, que Jesus pudesse não ser o Messias, tão somente pelo fato dele ser chamado de "Nazareno". Disse ele: "De Nazaré pode sair alguma coisa boa?" (João 1:46).

Assentados em sua predisposição, muitos dispensam os fundamentos, fazendo assim que ela, pelo menos em sua mente, se caracterize como verdade. É por simples predisposição que muitos rejeitam a Bíblia como Palavra de Deus, a fé cristã, e a Igreja.

Porém, o mais sério, é que a predisposição se levada a extremo, cega a razão e a inteligência, mesmo diante das mais fortes evidências que a contrariam. Os adversários de Jesus se "esbarraram" com a verdade, ao dizer: "Como pode um homem pecador fazer tamanhos sinais?"
(Jo 9:16). Essa atitude dos fariseus acusadores de Jesus nos adverte quanto a este perigo. A predisposição deles era tão forte, que conseguiam resistir mesmo diante das mais relevantes provas de que Ele não era um homem comum.

A verdade, é que mesmo sem nos dar conta, podemos possuir esse tipo de predisposição, dirigida aos mais variados alvos, e é claro, inclusive a pessoas. Não há como fugir do fato, que toda predisposição negativa, preconceituosa, antes de fundamentada, é injusta, e deve ser combatida pela benignidade, pelos "olhos bons" e pelo bom senso. Assim como a predisposição positiva deve também ser avaliada com discernimento.

Enfim, procuremos sabiamente, evitar os amargos frutos da predisposição.

O Rev. Nelson é Pastor da IPB de Praia Grande / SP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT