CONSOLAÇÃO (4) ENFRENTANDO AS DIFICULDADES PELA FÉ


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
Ofício Fúnebre Beatriz Felliettaz Scherres
02.12.12 - IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP


TEXTO BÁSICO – JÓ 19:25-27
“25  Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim Se levantará sobre a Terra. 26  Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. 27  Vê-Lo-ei por mim mesmo, os meus olhos O verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim.”


INTRODUÇÃO
A morte é um dos maiores desafios na nossa vida. Não entendemos a morte. Não aceitamos a morte. É difícil demais ver nossos queridos partindo, alguns tão rápido e de maneiras das mais inesperadas. Precisamos nos fortalecer para essas situações. Jó é um dos maiores exemplos bíblicos para nós. Ele enfrentou adversidades que nenhum de nós talvez já enfrentou, e venceu! Deixou para nós um exemplo singular, que na verdade provém do próprio Deus, pois foi Deus na vida de Jó que produziu essas atitudes excelentes.

1 – FÉ EM DEUS
“Porque eu sei que o meu Redentor vive”


Jó viu seu lar ser destruído, seus filhos morrerem, seus bens se perderem, sua saúde se acabar, e fez a maior das Profissões de Fé: aquela que é feita na hora difícil, no momento crucial, onde dor - física, emocional, psicológica e outras - incerteza, angústia, insegurança, medo, solidão, abandono, etc., gritam que não tem mais jeito. Mesmo sofrendo, chorando e gemendo, resoluto Jó afirmou sua fé: “DEUS VIVE!” Podemos sofrer, mas o nosso sofrimento não significa que Ele morreu, ou que Ele não exista, ELE VIVE! Temos a tendência de pensar que por ser amor, Deus não permitiria jamais o nosso sofrimento. Engano nosso, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Ele É amor, mas Sua essência não é apenas o amor, como os desinformados podem pensar. Ele também é santo, justo e soberano. Os sofrimentos da vida existem porque o pecado existe. Deus não é em nada injusto ao permitir sofrimentos. Cabe a nós afirmarmos e reafirmarmos nossa fé nesse Deus maravilhoso, que entende muito bem o sofrimento. Foi dEle a resolução em enviar Seu Filho Unigênito para morrer por nós na Cruz do Calvário. Ali estava o próprio Deus encarnado, sofrendo o maior dos sofrimentos que alguém poderia experimentar.

Ao sofrermos, não percamos de vista a nossa fé em Deus. ELE VIVE!!!

2 – FÉ NA RESSURREIÇÃO
“por fim Se levantará sobre a Terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus”

 
Deus revelou a Jó algo tremendo: um dia, quando chegar o tempo de Deus, a glória do Senhor se levantará sobre toda a Terra, e os mortos ressuscitarão! Os filhos de Deus terão seus corpos restaurados, e verão a Deus! Essa é uma parte importante da Escatologia, se refere à volta de Jesus, o Dia do Juízo Final, e a ressurreição dos mortos. Como Jó sabia de tudo isso? Certamente foi o Senhor Quem lhe revelou, e Ele creu!

Você crê na ressurreição? Os crentes creem, pois está revelado na Palavra de Deus de modo incontestável, que os mortos em Cristo ressuscitarão para a ressurreição da vida eterna, e os rebeldes para a ressurreição do juízo. Qual é a sua perspectiva para esse dia glorioso? Fato é que quando um ente querido nosso parte, sabemos que um dia o encontraremos, e viveremos eternamente com o Senhor. Não há dúvida, o corpo é mortal, mas a alma é eterna. Os mortos em Cristo estão na glória do Senhor eternamente. E nós também, quando formos chamados por Deus, habitaremos eternamente a glória celestial.

3 – JÓ AMOU A DEUS
“de saudade me desfalece o coração dentro de mim”


O nosso amor a Deus é testado nas horas de dor. Seja a morte de algum ente querido, enfermidades, privações e provações em geral, testam nosso amor a Deus. Jó foi provado ao extremo, mas não deixou de amar ao Senhor seu Deus. Infelizmente, vemos muitos que por muitíssimo menos desistiram do Caminho do Senhor, da Igreja, da Bíblia, da oração, e da observação dos mandamentos. Mas os que conhecem o Senhor e O amam encontram forças nas horas em que parece que não há forças. O amor a Deus, quando praticado durante uma vida, produz fruto nas horas mais difíceis da vida.


O nosso amor a Deus não é fruto da emoção ou das circunstâncias, mas sim de uma fé viva, que produz em nós esse sentimento espiritual que é cheio de atitude, devoção, quebrantamento e fidelidade. Não é a toa que amar a Deus é o primeiro e grande mandamento, tudo o mais na vida cristã depende disso. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor!

Enfrentamos as tempestades porque cremos naquEle que nos amou com um amor tão grande ao ponto de morrer por nós. Porque esse amor é experimentado na prática, no nosso cotidiano, não é uma simples teoria. Sabemos que Ele nos ama, e não será a dor, ou a própria morte que nos enfraquecerão. Pelo contrário, será nessas hora difíceis que o Seu grande amor Se manifesta de modo real e inconfundível, nos concedendo forças para o enfrentamento.

CONCLUSÃO

Jó demonstrou em suas palavras, ter uma fé poderosa, fruto de uma comunhão muito íntima com Deus, algo maravilhoso que Deus concede aos que nEle creem. Cabe a nós buscarmos essa fé, com um temor verdadeiro, desenvolvendo esse tipo de comunhão com o Todo-Poderoso Deus, para que quando lutas, provações e tempestades da vida vierem, enfrentemos tudo com essa mesma fé poderosa.

É essa fé que vemos na família enlutada, e na Igreja também, que apesar de tristes e abatidos, permanecem firmes no Senhor, glorificando-O e engrandecendo-O. Que Deus os conforte, cure a ferida, sare as dores da alma e do coração. E que o seu exemplo nos fortaleça também, como Igreja e irmãos em Cristo Jesus.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT