GRAÇAS A DEUS POR NOSSA RESTAURAÇÃO

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Ação de Graças 22.11.12

Culto Vespertino 25.11.12 

TEXTO BÍBLICO – SALMOS 126

INTRODUÇÃO
Nessa semana foi comemorado o Dia Internacional de Ação de Graças (22.11.12). Nós temos tanto a agradecer a Deus. Agradecemos pelo pão de cada dia, pelas roupas que vestimos, os calçados que protegem nossos pés, a família da qual fazemos parte, a Igreja onde temos comunhão, a Bíblia Sagrada que é a lâmpada para os nossos pés e luz para o nosso caminho, a vida, a saúde, enfim, tudo que temos, tudo que somos vem do Senhor. Mas acima de tudo, somos gratos a Deus pela restauração espiritual que recebemos dEle, a nossa salvação. Essa é a maior de todas as bênçãos, pois ela é eterna, não passa jamais!

No Salmo 126 encontramos o povo de Deus em um estado de gratidão tão grande que se expressa nas palavras “ficamos como quem sonha”. A alegria nutre nossa gratidão a Deus, e vice-versa, pois sabemos que não obtemos nada, não conseguimos nada, se não for pela mão de Deus. O Senhor Jesus nos alerta que de nada adianta ao homem ganhar o mudo inteiro e perder a sua alma (Mc 8:36). A revelação e a convicção desses fatos em nossos corações é o que nos assegura que temos fé nesse Deus maravilhoso. Fé essa que é um dom, ou seja um presente, o maior de todos os presentes, a maior de todas as bênçãos (Ef 2:8). A fé produz em nós a restauração de alma, mente e coração, na salvação e em nosso cotidiano, uma das características do povo de Deus – a restauração de Deus. Não vivemos uma vida cristã morna, triste, “sem graça”, mas vivemos uma vida cristã cheia da graça de Deus.

A Bíblia nos revela que o nosso Deus é um Deus restaurador. É assim que desde o princípio observamos nas Sagradas Escrituras o agir de Deus na história de Seu povo, restaurando-o constantemente. No Éden é Ele que procura Adão e Eva, no intuito de lhes restaurar diante de Sua presença (Gn 3:15). Na história de Israel O vemos constantemente cuidando e provendo meios para que eles fossem restaurados. Na vida da igreja não é diferente; aprendemos desde o início de nossa carreira cristã que o Senhor é quem nos restaura. É Ele quem nos limpa e liberta do jugo do pecado, é Ele quem nos sara as feridas da alma, é ele quem nos fortalece e guarda e nos dá a fé para caminhar.

Com o passar do tempo podemos achar que estas coisas são tão normais para nós, que nos acostumamos com elas, nos acostumamos com o sagrado. Esse é um dos grandes perigos da vida cristã: cairmos na rotina espiritual, que abre as portas e conduz ao liberalismo. Por exemplo: de tão fácil que é pedir perdão, minimizarmos o seu valor, que só é possível graças ao sacrifício de Jesus na Cruz do Calvário. De tempos em tempos alguns crentes passam por uma grande restauração espiritual. Muitos de forma dramática, mas não importa quão dramática ou quão simples (se é que podemos dizer) tenha sido a restauração de cada um, todos estamos em nível de igualdade perante Deus, pois sem a Sua restauração nenhum de nós chegaria aos Céus. Então a restauração é a maior das bênçãos de Deus. Te convido a refletirmos nesse tema, que é de tão grande importância na nossa vida espiritual.

EXPLICAÇÃO
Este salmo está incluído no Livro IV do livro dos Salmos, e é parte dos Cânticos dos Degraus, das Subidas ou de Romagem que os peregrinos cantavam quando subiam para adorar a Deus no templo. O povo de Deus havia pecado, se desviaram do caminho reto do Senhor e adoraram deuses falsos; por causa disso o Senhor os castigou e eles foram levados cativos. Após 70 anos de cativeiro eles começaram a retornar para sua terra, e foi quando este salmo foi escrito. A restauração de Deus se cumpriu na vida do povo de Deus.

Segundo o Dicionário Aurélio, RESTAURAÇÃO é ato ou efeito de restaurar, recuperar, restabelecer.

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES
O que este Salmo nos revela acerca da restauração de Deus? O que podemos aprender sobre essa bênção e como ela se manifesta na vida dos filhos de Deus?

1 – DEUS É O AUTOR DA RESTAURAÇÃO
“Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião” (vs.1)


A restauração de vidas é uma obra que pertence exclusivamente ao Senhor Deus. Só Ele poderia libertar Israel e traze-los de volta a Sião, restaurando a sua sorte. Somente Ele é capaz de tirar alguém do cativeiro do pecado e trazer para a Sua maravilhosa luz.

Cl 1:13 “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do Seu amor, no qual temos a remissão dos pecados.”
1 Pe 2:9 “...(Ele) vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz”.


Não depende de nós a restauração das pessoas, mas de Deus. Somente Ele tem poder para restaurar os corações feridos pelo pecado, pela culpa, pela tristeza. Por quê Ele faz isso? Porque Ele escolheu esse povo e tem um plano para ele, e os planos de Deus nunca são frustrados.

“Bem sei que tudo podes, e nenhum dos Teus planos pode ser frustrado.” (Jó 42:2).

Sem Deus não há possibilidade de que alguém seja restaurado (a). Neste momento há muitos perdidos e desviados do caminho da verdade, muitas lágrimas estão rolando por eles diante de Deus pedindo que lhes seja devolvida a consciência sã, e é isso mesmo que devemos fazer – ORAR – pois a restauração vem do Senhor Deus.

Podemos também estar dentro da casa de Deus necessitando ser tratados e restaurados por Sua graça e é maravilhoso saber que esse é o lugar onde Ele nos traz para sermos restaurados. Um aviso: se não buscarmos a restauração do Senhor em diferentes áreas de nossas vidas as mesmas vão se deteriorando cada vez mais, e nos afastando mais e mais de Deus – pecados, relacionamentos, família, igreja, etc. Mas se O buscarmos de todo nosso coração, certamente Ele nos restaurará por completo. O Apóstolo Paulo tinha essa conscientização.

“Não que eu o tenha já recebido, ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus”. Filipenses 3:12.

Nesse aspecto somos abençoados e abençoadores, pois uma vez perdoados necessitamos perdoar também, uma vez libertos devemos ajudar aqueles que ainda não foram libertos, uma vez curados devemos nos compadecer dos feridos e aflitos.

Mt 10:8 “...de graça recebestes, de graça dai.”
Lc 6:37 “perdoai e sereis perdoados.”


2 - A RESTAURAÇÃO DE DEUS TRAZ DE VOLTA A ALEGRIA PERDIDA
"1  Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha. 2  Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles. 3  Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres." (vs.1b,2a,3b) 


Segundo o Salmo 137, O exílio fora um tempo de lágrimas e tristeza...
 “Às margens dos rios de Babilônia nos assentávamos e chorávamos nos lembrando de Sião” Salmos 137:1.

Mas agora havia alegria, Deus coloca sobre o Seu povo “Óleo de alegria em vez de pranto” (Is 61:3). Essa alegria que a restauração de Deus trouxe (e traz) para o Seu povo é muito mais que sorrisos, muito mais que algo engraçado, é algo grande, profundo, espiritual! Ela muda nossa postura diante da vida, trazendo ânimo, perseverança, encorajamento, esperança, fé, otimismo e confiança em Deus. Em Gálatas 5:22 aprendemos que essa alegria é fruto do Espírito. Essa é uma alegria que não tem nada a ver com a alegria do mundo, é uma alegria que vem de Deus, mas pode (e deve) ser vivenciada no mundo. As pessoas que não conhecem o Senhor ficam impressionadas quando notam que SOMOS um povo alegre. Sem dúvida quando Deus restaura nossas vidas recebemos essa alegria que provem dEle mesmo.

3 – A RESTAURAÇÃO DE DEUS É SOLIDÁRIA, COMPASSIVA
"Restaura, SENHOR, a nossa sorte, como as torrentes no Neguebe." (vs.4)


Neste versículo o salmista suplica a Deus que os exilados que ainda estavam cativos para que voltassem à sua terra de origem. Havia na parte sul de Israel, alguns leitos de rios que passavam uma parte, na época da seca, quase sem água. Porém quando chegava a estação de chuvas se transformavam em torrentes, ficavam assim por bom tempo, e traziam grande alegria para aqueles que passavam. Assim também, o salmista pede que o Senhor encha a nação com o retorno dos exilados que ainda não haviam voltado. Ele pede que o Senhor faça vir uma enchente de exilados.

Essa deve ser a vontade da Igreja, que não se contente apenas em seu próprio regozijo, mas deseja que outros venham para a luz: seus parentes, amigos e vizinhos. Não podemos nos deixar dominar pelo individualismo; estamos no mundo, mas não somos do mundo. Estamos no mundo com uma missão: alcançar os perdidos com a mensagem do Evangelho de Jesus. Mas será que tem sido essa a nossa realidade? Temos de fato nos preocupado, nos compadecido para com aqueles que se encontram longe de Cristo? Não sejamos demasiadamente críticos com relação àqueles que se encontram no “exílio” do pecado, longe de Cristo. Oremos, testemunhemos, e sempre que possível falemos. Sabemos que o Senhor já separou para Si todo aquele que vai ser salvo; nossa missão é testemunhar da graça de Deus a todos que estão em nosso derredor, e o Senhor fará a Sua obra nos corações.

4 – A RESTAURAÇÃO DE DEUS TRAZ ESPERANÇA
"Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes." (vs.5,6)

O esforço dos exilados para restabelecer a nação foi em meio a grandes dificuldades, e eles sabiam que certamente acabariam por produzir resultados positivos, assim como acontece na agricultura. Esse mesmo princípio se aplica a vida cristã, pois a vida cristã tem seus momentos de dor e sofrimento, Jesus nos alertou...
 

"No mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo." (Jo 16:33)

No entanto a certeza é que no final seremos abençoados pelo Senhor, que nossos nomes estão arrolados nos Céus, que Ele vem nos buscar, e quando partirmos habitaremos com Ele na eternidade. Vale a pena servir ao Senhor com amor, fé, alegria, santidade. Vale a pena ser cristão, mesmo em meio à dor, dificuldade, sofrimento, lutas, etc. O povo restaurado tem essa certeza: “com júbilo ceifarão.”

Vivemos um tempo em que o povo evangélico em nosso derredor não está tanto na expectativa do Reino futuro, mas só querem ver a benção de Deus aqui e agora. É a chamada “teologia da prosperidade”, tão difundida em nossos dias. Não podemos deixar que esses ensinamentos confusos entrem em nossos lares e mentes, devemos nos proteger com a Palavra de Deus.

CONCLUSÃO
É necessário sempre lembrarmos que:

1 – Essa alegria requer santificação
Filipenses 4:4 “alegrai-vos NO SENHOR”


Se existe alegria espiritual, existe também tristeza espiritual. Lembremos que o povo de Israel só foi para o cativeiro por causa de seus pecados. Vivemos e desfrutamos dessa alegria constantemente e muitas vezes nos esquecemos como ela é importante. Cuidado para não nos envolvemos com coisas do mundo e passamos a agir de modos que desagradam a Deus e entristecem o Espírito Santo (Ef 4:30 “não entristeçais o Espírito Santo no qual fostes selados"). Quando isso acontece, passamos a viver uma falsa alegria, numa vida cristã triste diante de Deus. E essa tristeza se verifica no desânimo, enfraquecimento, desinteresse para com as coisas de Deus. Essa tristeza espiritual é sinal de morte espiritual (2 Co 7:10). Davi quando confessou seu pecado pediu que o Senhor restaurasse a alegria da salvação (Sl 51:12). (Exemplo da limpeza do escritório).

2 – Essa alegria é necessária para o bom desenvolvimento da obra de Deus
Salmos 100:2 “servi ao Senhor com alegria”
Neemias 8:10b “a alegria do Senhor é a vossa força”


Devemos buscar viver nessa alegria da restauração de Deus e seremos fortalecidos. Sem ela ficamos fracos... Então, o que nos deprime? O que nos paralisa? Se não há nada que possa nos tirar das mãos de Deus, por que será permitimos que a alegria se vá e em seu lugar fique a tristeza? Por que não damos valor a alegria do Senhor? Talvez essa seja umas das razões pelas quais o Senhor permita que haja filhos pródigos, porque quando eles são restaurados valorizam muito mais essa alegria cotidiana da casa paterna. O filho pródigo quando restaurado ficou diferente: mais humilde, mais agradecido, verdadeiramente arrependido e transformado (Lc 15:11-32). 



SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO