CUIDADO COM O FERMENTO MALIGNO

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti - S.C.Sul / SP
Pastoral Boletim 03.06.12

“E Jesus disse-lhes: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.” Mateus 16:6.
 
Jesus frequentemente usou figuras do cotidiano em Suas pregações como metáforas. No presente texto Ele se referiu às doutrinas dos fariseus e saduceus (vs.12), duas seitas que causavam grandes confusões no meio do povo de Deus. Jesus usou a figura do fermento certamente porque estes grupos tinham muitos seguidores e cresciam.
 
A seita dos fariseus confundia o conceito de obediência à Lei de Deus – prática das boas obras e mandamentos, conforme a vontade de Deus revelada nas Escrituras. Distorciam a motivação e os propósitos, vendo as obras como um meio de se obter o favor de Deus. O legalismo leva à arrogância e à hipocrisia da simples observação de regras sem, contudo, o coração quebrantado. O propósito falso e egoísta do legalismo exclui do coração a bondade despretenciosa e a compaixão. Os fariseus foram duramente repreendidos por Jesus em diversas ocasiões (Mt 12:34;23:13-36;Jo 8:44).
 
Já a seita dos saduceus era formada por membros de famílias sacerdotais nos dias de Jesus, um tipo de “elite” religiosa judaica. Ele negavam a ressurreição (Mc 12:18-27) e a existência de anjos e espíritos (At 23:8). Eles não conheciam as Escrituras de coração (a Bíblia hoje) e por isso tinham um tipo de visão materialista do mundo, algo parecido com o liberalismo moderno. Eles também foram duramente repreendidos por Jesus (Mt 22:29; Mc 12:24,27).
 
Esses dois grupos emergiram durante o período “inter-bíblico”, entre o Antigo e o Novo Testamento, mas o seu fermento nocivo e diabólico permanece até hoje em muitos contextos. O legalismo (farisaico) e o liberalismo (saduceu) reduzem e humanizam a visão bíblica e cristã. Seus sinais podem ser notados em diversas situações: falsa teologia, falsa doutrina, política, falta de ética, descrença, mundanismo, frieza espiritual, partidarismos, divisões, hipocrisia, falsa fé, ausência de verdade e amor, manipulações, mundanismo, etc. Está presente na vida de muitos “crentes”.
 
Não caiamos nesses laços de morte e engano. Lembremos que esses homens odiavam a Cristo e forjaram o plano da Sua morte. Muito cuidado, irmãos, com este fermento (doutrina) infernal que sufoca, mata e destrói a vida espiritual dos que se deixam enganar. Busquemos em Cristo o verdadeiro alimento espiritual que sacia a nossa fome de Deus.

Material de apoio: Bíblia de Estudo de Genebra.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL