O CAMINHO MAIS EXCELENTE


Por: Rev. Israel Sifoleli

“E eu passo a mostrar-vos ainda um Caminho sobremodo excelente.” 1 Coríntios 13:1.

Para quem deseja caminhar na verdade, é fácil decidir quando se encontra na encruzilhada entre o verdadeiro e o falso. O problema é que, às vezes, a vida nos leva por caminhos em que precisamos optar não entre a verdade e a mentira (certo ou errado), mas entre o melhor de dois caminhos legítimos. Parece-me que é isto que Paulo está propondo a Igreja de Corinto já que eles haviam optado pelo caminho dos dons (contexto do capítulo treze). Paulo sinaliza com um caminho mais excelente: o caminho do amor. 


Influenciado pelo Apóstolo, quero pensar em dois caminhos que se cruzam diante de nós: o caminho do ato e da providência. Os estudiosos da Bíblia, particularmente os do Antigo Testamento, têm chamado nossa atenção para os atos de Deus na história. Deus se revela através dos Seus atos de salvação / libertação e juízo / condenação. Certamente, olhar para os atos de Deus é imprescindível para conhecê-Lo. As teofanias (aparições de Deus) na história, são torrentes poderosas que invadem os desertos espirituais e existenciais provendo a vida. No entanto, não podemos deixar de perceber que durante boa parte do tempo Deus se revelou a Israel de forma quase imperceptível e silenciosa. A chuva serena que alimenta a esperança de colheita abundante. O exercício diário da benção sobre a Sua criação e, particularmente, sobre Seu povo. A este gotejar contínuo das bênçãos, os teólogos denominam providência. 

Se olharmos para a experiência humana, facilmente constataremos que a vida não é feita somente de atos. Obviamente, os atos são importantes: nascimento, casamento, formatura, morte, etc. Eles pontuam a nossa caminhada, entretanto, viver em função de atos é promover competição, frustração, culpa e desequilíbrio. Assim como a revelação de Deus não se limita a atos, a espiritualidade tampouco. Rasgar o coração em um culto ou acampamento é precioso, porém muito melhor é ter um coração diariamente quebrantado. 

A espiritualidade dos atos se alimenta de eventos, por isso carece de ativismo. A espiritualidade centrada na benção diária (providência) é serena e confiante. Portanto, a espiritualidade construída por atos é um bom caminho, mas há um caminho sobremodo excelente que pode ser experimentado todo tempo e em todo lugar: a vivência do AMOR de Deus.

O Rev. Israel é pastor da 2ª IPB de Ermelino Matarazzo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL