NOSSO ALVO EM COMUM (1) COMBATER O BOM COMBATE


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti - S.C.Sul / SP
26.02.12 – Culto Vespertino


TEXTO BÁSICO – 2 Timóteo 4:7
“Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.”


INTRODUÇÃO

Todas as vezes que começamos a fazer alguma coisa, é bom termos um objetivo definido: onde queremos chegar. É de grande valor termos algumas metas, ou alvos, a serem buscados (e alcançados dentro da vontade de Deus) em nossas vidas. Mas existe algo muito mais elevado para buscarmos em nossa caminhada, que é o nosso ALVO ESPIRITUAL. O alvo espiritual é tão importantes que norteará nossa.

Se individualmente, cada um de nós tem seus alvos particulares, quando se trata da vida espiritual todos nós temos este ALVO EM COMUM a ser buscado por toda a nossa vida. Neste texto encontramos o Apóstolo Paulo falando acerca desse alvo, que foi o seu alvo de vida, e que também é o nosso ALVO EM COMUM.

EXPLICAÇÃO
Uma das particularidades de 2 Timóteo, é o importante relato acerca dos últimos momentos do ministério do apóstolo Paulo. Sua situação era desoladora: não podia mais ansiar por um ministério frutífero, estava preso (1:8; 2:9), e a maioria dos amigos o havia deixado (4:10,11). Mas ainda assim Paulo permanecia confiante. Não estava envergonhado do Evangelho (1:12), e estava disposto a suportar tudo por causa dos eleitos (2:10). Ele sabia que tinha sido fiel a Cristo (4:7) e que Cristo era fiel (1:12; 2:13). Paulo tinha confiança que aquEle que no passado o havia resgatado da morte (3:11; 4:17) o resgataria através da morte para a vida eterna (4:8,18). (BEG).

O alvo de vida a ser buscado foi um dos temos que Paulo trabalhou bastante. Recentemente falamos sobre isso, dia 22/01/12 “O ALVO DO CRISTÃO”, onde tratamos desse alvo como sendo a busca da glória de Deus no Céu e na Terra.
“...prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:14.

ARGUMENTAÇÃO  

Paulo usa três expressões para falar dos objetivos de seu ministério, que devemos entender e aplicar em nossas vidas:

1 - combater o bom combate;
2 - completar a carreira;
3 - guardar a fé.


Sua preocupação não era com o sucesso que ele tenha sido, mas em que ele tenha sido fiel ao Senhor. (BEG). Analisando essas expressões de Paulo descobrimos qual é o NOSSO ALVO EM COMUM. Esse era o alvo de Paulo, e deve ser o nosso alvo também. Hoje nos limitaremos a falar da primeira dessas três expressões.

1 - COMBATER O BOM COMBATE
O apóstolo Paulo compara aqui a vida cristã a uma luta.

Combate = Ação de combater. Luta entre gente armada ou forças militares; batalha; peleja. Embate, choque, rixa. (Michaelis).
Combate = luta, batalha. (PEB).

Precisamos avaliar se temos combatido o BOM COMBATE.
Que é o “bom combate”? A resposta é um pouco extensa e divide-se em várias partes.

Primeiramente seria interessante entender O QUE NÃO É “bom combate”. Se há o “bom combate”, então podemos entender que existe o “mau combate”. O que seria o “mau combate”? O “mau combate” seria a luta errada, do modo errado.

“Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras.” Tiago 4:2a.
“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” Efésios 6:12.

A nossa luta não é contra pessoas nosso próximo, nossa família, nossos irmãos, ou contra Deus. A nossa luta também não é somente contra o diabo e seus demônios.

IDENTIFICANDO NOSSOS INIMIGOS

1.1 – PRIMEIRO INIMIGO: O MUNDO
Mas na luta cristã nos deparamos com este inimigo terrivelmente sagaz e destruidor, que nos cerca e nos ataca constante e insistentemente: o MUNDO.

“Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no maligno.” 1 João 5:19.

O mundo do qual falamos aqui não é o mundo criado por Deus, a natureza (o exemplo da serpente).

Nem tampouco são as PESSOAS que vivem no mundo e que não temem a Deus (Ef 6:12a).

Mas é o mundo SISTEMA DE PECADO e VALORES CONTRÁRIOS À PALAVRA, que como a própria Bíblia diz, “jaz no maligno”.

“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tiago 4:4.

No BOM COMBATE, necessitamos seguir o padrão de conduta estabelecido pela Palavra de Deus, que nos diz o que é certo e o que é errado, e não de acordo com os valores que estão no mundo.

“Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; porquanto, nEle, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” Colossenses 2:8,9.

1.2 – SEGUNDO INIMIGO: A CARNE 

O segundo inimigo e talvez o pior de todos os nossos inimigos é a nossa carne, isto é, nossa NATUREZA HUMANA PECAMINOSA.

Esse inimigo é o pior que o mundo, porque está mais próximo de nós, está ligado a nós, somos nós mesmos. É dentro dessa esfera que habita a nossa natureza de pecado.

“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.”  Gálatas 5:19-21.
 

“Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem.”  Marcos 7:21-23.
 

“Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que O amam. Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e Ele mesmo a ninguém tenta. Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.” Tiago 1:12-15.

Aqui é que se travamos o nosso BOM COMBATE lutando contra o pecado que está em nós, não permitindo que essa natureza de pecado domine nossos pensamentos e ações. Assim é que somos transformados pelo Senhor dentro de um processo imprescindível chamado de SANTIFICAÇÃO.

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.”  Hebreus 12:14.

UMA PROMESSA GRATIFICANTE
Ninguém será tentado em sua carne além do que possa suportar.
“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” 1 Coríntios 10:13.

1.3 – TERCEIRO INIMIGO: O DIABO  

Este é o nosso arqui-inimigo, o anjo decaído que consigo levou 1/3 dos anjos do Céu, e que ao serem expulsos da glória celestial foram transformados nos seres mais malignos e corruptos que existem.

Em Efésios 6:10-20 temos uma clara definição dessa realidade.

“Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do Seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do Evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do Evangelho, pelo qual sou embaixador em cadeias, para que, em Cristo, eu seja ousado para falar, como me cumpre fazê-lo.”  

Nesse contexto o “BOM COMBATE” é visto como algo essencialmente prático e sem pirotecnia, show (explicar). As armas apresentadas não são novas, mas as mesmas armas que o Senhor Deus já nos deu: verdade, justiça, conhecimento bíblico, fé, salvação, oração, súplica, perseverança. Em síntese podemos entender que combater o “bom combate” é viver a vida cristã de um modo real e prático, em obediência a Deus.

Assim, a nossa parte na luta contra o reino das trevas é essencialmente uma RESISTÊNCIA ao mal e sujeição a Deus.

“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” Tiago 4:7.


O Senhor não nos mandou desafiar o inimigo, nem gritando demonstrar angústia, medo e descontrole. Ele nos disse para resistirmos. Resistimos quando oramos, meditamos na Palavra de Deus, louvamos e O adoramos, nos santificamos, amamos, obedecemos, servimos... Enfim, nossa resistência está em andarmos com Deus.

O lobo não teme ovelhas que berram alto, mas ele teme o Pastor das ovelhas. O diabo não tem medo de nós, pelo contrário, ele sabe da nossa fragilidade, fraqueza, pecaminosidade, etc. O diabo teme a Jesus, portanto, se andarmos com Jesus ele temerá Jesus que habita em nós.

O crente não pode viver uma paranóia, pois Cristo garante a sua segurança.
“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, aquEle que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” 1 João 5:18. 


Isso não pode soar em nossos ouvidos como triunfalismo, ou seja, a promessa de que o maligno não nos toca está sujeita à nossa obediência à Palavra de Deus. Somente aí é que estamos protegidos: à sombra do Altíssimo, debaixo de Sua Palavra. E é o Senhor mesmo que nos manda não dar lugar ao diabo.

"Nem deis lugar ao diabo." Efésios 4:27.

ILUSTRAÇÃO
Certo jovem crente recebeu a visita de Jesus em seu lar. De pronto deu ao Mestre amado o melhor lugar para se sentar na sala, na melhor poltrona que ele tinha. Foi preparar um cafézinho para servir ao visitante, quando alguém bateu fortemente na porta da cozinha. Ao abrir para ver quem era logo percebeu que era o inimigo tentanto entrar em sua casa. O jovem então clamou a Jesus que prontamente veio socorre-lo. Passados alguns minutos alguém batia e tentava arrombar a janela de sue quarto. O jovem desesperado foi ver o que estava acontecendo e ficou perplexo ao ver que era o diabo novamente tentando entrar em sua casa. Mais uma vez aquele jovem crente clamou por socorro e Jesus veio e atendeu ao seu pedido com muito amor. Então o moço disse em lágrimas: "Senhor, o que está acontecendo? Por que o diabo tem tanta força contra mim e a todo momento tenta invadir minha vida?" O Senhor respondeu: "Me mostre seu quarto filho". Ao entrarem lá o Senhor disse: "Levante seu colchão". Ao fazê-lo envergonhado aquele jovem viu as revistas pornográficas que ali ele havia escondido. Então o Senhor disse: "Vamos até a sua cozinha." Ao chegarem lá o Senhor mandou que ele levantasse a cortina da pia. Ao fazê-lo ficaram à vista as garrafas de cerveja que ele guardava naquele local. Então o Senhor lhe disse: "O diabo tem tanto poder contra ti porque me deste apenas uma poltrona em sua sala, mas escondeste em teu lar tudo aquilo que agrada ao inimigo... Queres ficar livre de uma vez por todas? Então tira de tua casa tudo aquilo que pertence a ele, e entrega tudo que tens a Mim." Ao fazê-lo aquele jovem experimentou, pela primeira vez em sua vida cristã, a alegria de ser livre em Cristo. Pense: existe algo em sua vida, em seu lar, que pertence ao inimigo? Livre-se disso para que não se torne um alvo fácil de seus ardis e sutilezas, e que por fim ele não venha a destruir você, afastando-o dos retos caminhos do Senhor. 

"Não meterás, pois, coisa abominável em tua casa, para que não sejas amaldiçoado, semelhante a ela; de todo, a detestarás e, de todo, a abominarás, pois é amaldiçoada." Deuteronômio 7:26. 

CONCLUSÃO
O crime deserção está previsto no Código Penal Militar do seguinte modo.
 

Desertor é aquele que pratica o crime de deserção, conforme listado no Código Penal Militar, Decreto-lei nº 1.001, de 21 de outubro de 1969, em seu artigo 187: 

Art. 187 - Ausentar-se o militar, sem licença, da unidade em que serve, ou do lugar em que deve permanecer, por mais de oito dias. Pena - detenção, de seis meses a dois anos; se oficial, a pena é agravada. 

Os soldados na batalha não podem abandonar as armas, não podem parar de lutar, isso é crime de deserção, e os que assim procedem são classificados como covardes e traidores. Em alguns países esse crime pode ser punido com a pena de morte. E na batalha da Igreja, existiriam desertores?

Talvez seja dentro dessa idéia que Apocalipse 21:8 fala dos covardes:

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.”

O bom combate é o nosso alvo comum. Precisamos lutar. Lutar contra as trevas, contra o mundo de pecado, lutar contra a nossa natureza pecaminosa.

Que possamos estar atentos a isso e jamais abandonarmos nossa posição diante de Deus. 


Material de apoio:
Dicionário Michaelis;
BEG - Bíblia de Estudo de Genebra;
PEB - Pequena Enciclopédia Bíblica.

Leia também NOSSO ALVO EM COMUM - PARTE 2 - COMPLETAR A CARREIRA., e NOSSO ALVO EM COMUM - PARTE 3 - GUARDAR A FÉ

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT