DEUS É O NOSSO SOCORRO


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti - S.C.Sul / SP
Culto Vespertino 29.01.12


TEXTO BÁSICO

2 CRÔNICAS 13:1-18 
14  Olhou Judá e viu que a peleja estava por diante e por detrás; então, clamaram ao SENHOR, e os sacerdotes tocaram as trombetas.
15  Os homens de Judá gritaram; quando gritavam, feriu Deus a Jeroboão e a todo o Israel diante de Abias e de Judá.
18  Assim, foram humilhados os filhos de Israel naquele tempo; prevaleceram os filhos de Judá, porque confiaram no SENHOR, Deus de seus pais.


INTRODUÇÃO

Deus é o nosso socorro! Quantas vezes estivemos encurralados pelas lutas e tribulações da vida e não temos a quem recorrer, a não ser o Senhor, e recorremos a Ele que prontamente nos respondeu? Quantas esperanças pareciam perdidas e Ele nos deu uma nova esperança? Sim, nosso Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações, por isso não temeremos! (Sl 46:1).

Você conhece o Deus que ouve e ajuda? O Deus manso e humilde que socorre prontamente todos aqueles que nEle se refugiam?

Você sabe como agir diante das lutas e tribulações da vida, ainda que tudo pareça perdido? Muitas vezes ficamos “sem chão”, não sabemos como agir diante de situações que surgem de repente.

E ainda que você saiba tudo isso, se sente fortalecido na fé e na confiança nesse Deus tão maravilhoso e presente? Muitas vezes o conhecimento das verdades e promessas de Deus parecem tardias em se cumprir... Precisamos nos renovar constantemente em Sua presença.

EXPLICAÇÃO
Estamos diante de uma batalha entre o povo de Judá, chefiados por Abias, homem de Deus; e o povo de Israel, que eram chefiados por Jeroboão, homem maligno e que não temia ao Senhor. Ele apareceu nos dias de Salomão (1 Rs 11:26-28; 2 Cr 13:6) quando se levantou contra o rei, e este o pôs como chefe dos trabalhos forçados da casa de José. Após a morte de Salomão, na divisão das tribos, Jeroboão assumiu o liderança de Israel. Das 12 tribos, 10 tribos ao norte passaram a ser chamadas de Israel, e 2 tribos ao sul passaram a ser denominadas como Judá.

Ele era um homem mau, não temia ao Senhor. Além de ser rebelde, ele era aderiu ao paganismo e chegou a fazer dois bezerros de ouro para serem adorados (2 Cr 13:8); também lançou fora os sacerdotes da casa de Arão e levantou sacerdotes dos povos que não tinham linhagem levítica. Nas palavras de Abias, bastava que alguém tivesse um novilho e sete carneiros para ser feito sacerdote (vs.9).

E quem era Abias? Apesar dos desvios que ocorreram em Judá no passado, ele se diz ser um homem de Deus, e que nunca deixara o Senhor, e mantivera a linhagem de Arão no sacerdócio (vs.10-11). Ele ainda afirma com convicção que Deus estava à frente deles.

O texto nos fala que Abias tinha 400.000 soldados enquanto que Jeroboão, em muito maior número, com 800.000 estava com uma vantagem imensurável para aquela peleja (vs.3). Assim, Jeroboão elabora uma estratégia infalível para destruir Judá e todo o seu exército. No vs.13 ele ordena que fosse feita uma emboscada e que dessem por detrás do exército de Judá. Assim ficaram eles cercados de todos os lados, encurralados, sem saída. Seria fatalmente o fim deles, se não fora o Senhor que estava ao lado deles.

ARGUMENTAÇÃO

Observando o texto podemos aprender qual o segredo da vitória, ainda que pareça impossível.

1 – ORAÇÃO (vs.14)
Diante daquele quadro terrível de uma derrota iminente, vemos esses guerreiros clamando ao Senhor! Eles oraram de um modo intenso, com seus corações derramados levantaram um clamor. Há momentos em que oramos calmamente, mas há momentos em que clamamos, momentos em que nossa alma geme e chora perante o Senhor. Que bom se você pratica a oração, podemos dizer que já é mais que meio caminho andado. Muitos não praticam a oração, precisamos retornar ao nosso primeiro amor, JESUS, sem Ele nada podemos fazer.

A palavra “oração” termina com a partícula “ação”. O que isso quer dizer? Que não basta ficar orando, se existe algo que demos fazer, vamos fazer, mas que tudo seja dirigido por Deus, em oração. Não é só orar, mas a oração vem em primeiro lugar.

Clamemos ao Senhor, Ele pode tudo resolver, até aqueles problemas que nos parecem não ter solução. Creiamos no Senhor!

2 – LOUVOR (vs.14)

Quando os sacerdotes tocaram as trombetas eram instrumentos musicais que eles tinham. Esses instrumentos tinham o intuito de preparar os soldados para a batalha, o seu som causava um tipo de encorajamento em seus corações. Algo semelhante acontece nas Forças Armadas que tem hinos que encorajam seus soldados para a guerra. E nós? O que temos? Temos o louvor! O louvor liberta, o louvor encoraja, o louvor sara nossos corações. Não usamos trombetas, mas temos os instrumentos, temos os nossos hinos, temos nossos cânticos. Quando louvamos verdadeiramente, estamos declarando, em meio às situações difíceis, que cremos em um Deus que tudo pode, um Deus que é soberano e que está no controle de tudo, um Deus que faz o que Ele quer, quando quer, e do modo que Ele quer. Não podemos temer nossos inimigos, sejam eles físicos, materiais ou espirituais. A vitória é nossa em nome de Jesus. Aconteça o que acontecer, Deus seja louvado! Seja qual for o desfecho, Deus seja louvado! Seja qual for a situação, Deus seja louvado! É assim que tem que ser. Não podemos ser imaturos ao ponto de louvar apenas quando tudo vai vem conosco, NÃO!!! Louvemos em toda e qualquer situação irmãos! E digo mais, a exemplo do texto lido, devemos louvar muito mais quando as coisas não estão bem, quando os problemas surgem, quando nos sentimos encurralados pelo mal.

Uma palavra sobre a música mundana. O que você tem ouvido no seu dia a dia? Quais são os seus critérios de escolha? Por que muitos não curtem a música cristã, e preferem a música que desonra a Deus? Você ouve hinos e cânticos de louvor constantemente? O que sai de seus lábios? O que está na sua mente e coração? Saiba que isso também é uma forma de louvar a Deus. Os filhos do diabo louvam ao seu pai com a música que o agrada (pecados, drogas, vícios, imoralidades, etc.). Os filhos de Deus devem louvar a Deus com a música que O louva e exalta. Certamente essa “mundanização” da mente através da música profana, seja uma das causas do esfriamento de tantos crentes, da apatia de tantos jovens, do desânimo e da pecaminosidade de tantos crentes.

3 – FÉ (vs.18)
O texto é muito claro ao dizer que os filhos de Judá venceram os filhos de Israel porque confiaram em Deus. Eles prevaleceram porque confiaram. Você confia em Deus? NEle você deposita a sua confiança? Podemos dizer também que a oração e o louvor são oriundos de um coração que crê. Como podemos explicar a oração e o louvor de um pai ou uma mãe que vêem seus filhos longe da Igreja senão for pela fé em Deus? Como explicar a oração e o louvor de um crente mesmo com câncer, senão for pela fé? Como entender isso? Não há explicação humana para isso, a fé é um dom de Deus, e o crente vive pela fé (Rm 1:17).

O contrário, ou seja, aqueles que não crêem, são derrotados. O texto nos diz que os filhos de Israel foram humilhados, passaram vergonha, vexame, diante de seus inimigos. O texto sagrado nos diz que Deus feriu Jeroboão e a todo o Israel. Muito cuidado! Deus tudo vê, e é Ele quem julga a cada um segundo as suas obras.
Você não quer ser humilhado? Então submeta-se a Deus, confie nEle, entregue a Ele o seu fardo e continue caminhando. Ele te sustentará.

CONCLUSÃO
Como temos reagido quando nos sentimos encurralados pelos problemas, lutas e dificuldades da vida? Infelizmente temos visto tantos que nas horas mais difíceis não oram, não louvam e não buscam a Deus. Quando mais deveriam estar na Igreja, se afastam, quando deveriam estar nas reuniões de oração, nunca aparecem. Mas que bom é ver que existem irmãos que confiam, que clamam e que louvam a Deus, em toda e qualquer situação.

Como temos louvado a Deus em nosso dia a dia? Temos nos consagrado para Ele? Ou será que restringimos nossos cânticos de louvor e adoração somente aos cultos de domingo? Que possamos entender que o louvor é uma atitude de vida, que Deus requer de nós a consagração, e que devemos ter uma atitude firme e “agressiva” para conosco mesmo, retirando de nossas mentes e corações tudo que desagrade a Deus, enchendo-nos com o louvor e a adoração em nosso dia a dia.

Busquemos o crescimento na fé, a fé remove montanha, e sem fé ninguém verá o Senhor. A fé é um dom de Deus, uma dádiva celestial, mas é necessário cuidar dela, protegê-la e cultivá-la, buscando o seu desenvolvimento e crescimento saudável dentro da pureza e transparência da Palavra, porém ativa, transformadora e renovadora. Uma fé assim nos aproxima de Deus e nos fortalece nas batalhas. Lembremos que eles prevaleceram porque confiaram em Deus.

Se você está passando por tais situações, esse é o momento de agir. Ore, clame, louve, adore ao Senhor. Confia nEle e Ele te sustentará!

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL