NATAL: O REI DA GLÓRIA SE FEZ HOMEM


Por: Pb. José Vicente 

Andando pelas ruas da cidade vejo que elas estão mais movimentadas. Muitos rostos conhecidos, e outros que nunca vi, desfilam a pé ou em carros na correria das compras para as festividades de Natal.

Pessoas que se mudaram para outras localidades e que, nesta época, voltam para rever familiares e participar de uma confraternização agradável, revendo parentes e amigos que há tempos não viam.

Isso é bom! As famílias reunidas, os amigos se reencontrando, sorrisos nos rostos, presentes...

O problema está, muitas vezes, no foco da festividade. Por que existe o Natal? O que ele significa? O que as pessoas comemoram?

Para muitos, Natal é ocasião para beber bastante (alguns até não sentirem mais o chão sob seus pés) e comer até se fartar. É momento de se entregar a festas regadas a bebida, músicas de qualidade extremamente duvidosa e se esbaldar nas baladas, onde se liberam a lascívia e os instintos carnais.

Infelizmente, coisas desse tipo acontecem. No Natal, quando deveria haver uma celebração do amor, da paz, da esperança, há aqueles que, sem se preocuparem com o significado da festividade, agem como seres irracionais em busca do prazer. Nessa época há considerável quantidade de brigas, violência e homicídios.

Já passou da hora de as pessoas voltarem a pensar no que significa o Natal.

É claro que há aqueles que se insurgem contra o Natal afirmando: “essa festa não está prevista na Bíblia”, ou então “Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro”, ou, ainda, “Natal é uma criação do imperador Constantino, isso não é coisa de Deus”, e por aí vai...

Realmente Jesus não nasceu em 25 de dezembro, e não há nenhum mandamento na Bíblia para comemorarmos o Natal. O que se deve ter em mente, porém, é que houve um dia em que Deus enviou Seu Filho amado, Jesus Cristo, para Se tornar Homem! Um ser humano, e como tal, sofrer todo tipo de privações, humilhações, terminando com Sua morte numa Cruz e culminando com a Sua ressurreição, para nossa redenção, justificação e salvação.

Todo cristão autêntico é profundamente grato a Jesus por ter Se submetido a esse sacrifício para salvar vidas que não mereciam tamanha demonstração de amor. Uma forma de fazer isso é reservando um dia, pelo menos, para lembrar a ocasião em que Deus Se fez homem e habitou entre nós. Não que devamos nos restringir a um dia para agradecer a Deus, pois continuamente devemos render ações de graças, mas aproveitar a oportunidade em vez de ficar debatendo se ela é essencial ou não.

Não sabemos exatamente qual foi o dia do ano em que isso ocorreu. Assim, havendo uma data anteriormente escolhida, 25 de dezembro, o cristão genuíno aproveita a oportunidade para refletir em tudo o que Jesus Cristo fez, e relembrar com todo respeito e reverência a infinita Graça manifestada por Deus ao nos resgatar da condenação eterna através do sacrifício de Seu Filho.

Preservar a memória de um evento tão importante é fundamental. Àqueles que afirmam que não se deve comemorar o Natal por não haver ordenação Bíblica faço uma pergunta: é necessário que Deus edite uma ordem para que tenhamos um coração grato pelo que Ele fez por nós? Não devemos nós, o que nos declaramos cristãos, manifestar gratidão continuamente, e aproveitar essa ocasião para adorar a Deus de forma mais entusiasta ainda pela lembrança do maior milagre já acontecido no mundo, que foi a encarnação de Deus?

Conclamo os cristãos a esquecerem os questionamentos tolos que se espalham e a se concentrarem unicamente em Deus, o Autor de nossa salvação, e em Jesus Cristo, Seu Único Filho, que veio ao mundo como homem, morreu na Cruz e ressuscitou, vencendo a morte e o diabo, para nos conceder a adoção de filhos de Deus e a Vida Eterna.

Também exorto a todos para que esqueçam as bebedeiras, glutonarias e orgias, pois isso é evidente falta de respeito e reverência para com o Senhor. Antes, aproveitem a ocasião do Natal para uma auto-análise, refletindo sobre o modo de vida que temos levado, que, muitas vezes, está a milhares de quilômetros de distância do propósito de Deus para nós.

Vamos nos reunir com nossos familiares e comemorar a vinda do Rei da Glória, com todo o temor e tremor, pois a Ele devemos honra e glória.

Feliz Natal a todos, e que Jesus receba de nós a honra merecida, hoje e sempre.

Nas Profundezas da Simplicidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL