PARABÉNS À SAF POR SEU 127º ANIVERSÁRIO!!!

“É hora de colher os frutos e nos alegrar no Senhor. É hora de agradecer ao Senhor pelo 127 anos da SAF da nossa amada Igreja Presbiteriana do Brasil”. 

Com essa frase, a presidente da Confederação da Sociedade Auxiliadora Feminina (CNSAF’s), Ana Maria Prado, iniciou o convite à todas as sócias para a celebração de aniversário.

Neste ano o culto de ação de graças será celebrado no dia 12 de novembro, às 14h, na Igreja Presbiteriana de Campina Grande, Paraíba. O preletor convidado é o Rev. Calvino Teixeira Rocha, pastor da 1ª Igreja Presbiteriana de Caruaru (PE).

De acordo com Ana Maria, o Sínodo da Paraíba estará recepcionando as irmãs da SAF e os demais visitantes presentes. “Há grande expectativa em torno da presença de muitas irmãs e irmãos de vários Sínodos do Nordeste os quais já confirmaram suas presenças: Pernambuco, Central de Pernambuco, Garanhuns, Agreste Sul de Pernambuco, Sesquicentenário, Rio Grande do Norte, Maranhão e outros. Aguarda-se também representante do Programa Verdade e Vida, do Presidente do Sínodo Rio Grande do Norte, do Vice-Presidente da JMN, e outros queridos irmãos e irmãs de outros estados”, afirma Ana Maria.

Após o culto ocorrerá alguns lançamentos, como da Bíblia Comemorativa dos 127 anos da SAF, realizado pela Casa Editora Presbiteriana (CEP), de um CD histórico elaborado pelas SAFs Pioneiras, no qual há  registro sobre a gênese e o desenvolvimento da SAF/IPB nestes 127 anos, e de um novo site  para a SAF, que é uma parceria com a Apecom, Agência Presbiteriana de Evangelização e Comunicação.

Para a presidente da SAF, a expectativa é de uma tarde agradável, que relembrará o trabalho de muitas outras mulheres que há muito tempo já vêm realizando atividades em louvor à Deus, e a serviço da IPB. “Como suas auxiliadoras, servas, discípulas e missionárias, estamos dizendo a cada dia: "Não mais eu vivo, mas Cristo vive em mim" Gl 2.20. Parabéns minhas queridas irmãs pelos 127 anos da SAF! Nosso abraço fraterno, nosso carinho e nossa gratidão”, conclui Ana Maria.

BREVE HISTÓRICO

A sociedade mais antiga da Igreja Presbiteriana foi a de Recife, fundada a 11 de novembro de 1884. Poucas semanas depois, apareceu a Sociedade Feminina da Igreja de Rio Claro, a 8 de janeiro de 1885, que primeiramente chamou-se Sociedade Boa Esperança, sendo presidida pela senhora Eulália Dagama, esposa do rev. João Fernandes da Gama. Em 1908, a sociedade passa a chamar-se Sociedade Auxiliadora de Senhoras Eulália Dagama. Muitas outras foram se organizando; não havia, porém, contato entre elas. As atividades dependiam somente do espírito de iniciativa das senhoras locais. Em 1920, uma sociedade feminina presbiteriana adotou o Plano de Departamentos, o que foi bem aceito posteriormente.

Genoveva Marchant foi missionária americana no Brasil por cerca de 50 anos. Pedagoga, trabalhou na educação e difusão do Evangelho em nosso país. Reconhecendo a necessidade de uma organização mais eficiente, por sua iniciativa formou-se a primeira Federação de Sociedades Auxiliadoras de Senhoras, a do Presbitério Sul de Minas, no dia 16 de maio de 1921, no templo da IPB de Lavras.

A próxima Federação a surgir foi a do Presbitério de Pernambuco, em 1924. Em 1929, em Canhotinho (Pe) organizava-se a Federação do Presbitério Sul de Pernambuco, desdobramento da existente no Presbitério de Pernambuco. No mesmo ano são organizadas a Federação de Minas, a qual pertencia Campinas, e a do Presbitério Oeste de São Paulo, esta em 19 de março, em São Carlos. Em 1923, começaram a sair os “programas”, a princípio modestos, depois mais ou menos padronizados.

Na Assembléia Geral da IPB, reunida em Campinas / SP, em 1928, o Rev. Jorge Goulart foi eleito Secretário-Geral do trabalho Feminino. E, em 1932, por sugestão do próprio Rev. João Goulart, Dª. Genoveva Marchant foi eleita Secretária Executiva do Trabalho Feminino. Trabalhando mais intensamente e, junto com uma comissão, preparou o Manual do Trabalho das Sociedades Auxiliadoras Femininas, editado em 1937, tendo também feito o levantamento histórico que integrou aquele manual.

As Secretárias Gerais, sucessivamente: Dª. Genoveva Marchant, Dª  Blanche Eunice Gomes Lício, que foi a primeira Presidente da Confederação Nacional das Sociedades Auxiliadoras Femininas, organizada em 1958, e Dª Cecília Rodrigues Siqueira.

Em 1945 foram organizadas três novas federações: Ceará-Amazônia, Nordeste de Minas e Campinas, totalizando 17. Nesse ano também foram organizadas as Confederações Sinodais: Setentrional em 21 de janeiro, em Recife, Minas-Espírito Santo, a 23 de junho, em Governador Valadares.

O 1º Congresso Nacional reuniu-se de 23 a 26 de junho de 1941 na IPB de Riachuelo, Rio de Janeiro, e o 2º Congresso Nacional foi em 1954, também no Rio, quando Dª Nady Werner (Maria Auxiliadora Bittencourt Werner) assumiu a Secretaria Executiva. Foi também Secretária Geral, sucedendo Dª Cecília Siqueira.

Fundou o órgão oficial do Trabalho Feminino – a SAF em Revista, que começou em março de 1955 como um Boletim Informativo da Secretaria-Geral, uma única folha com notícias, estudos bíblicos e orientações. O segundo número saiu em junho e em 11 de outubro, no seu aniversário, tendo Dª Nady oferecido o terceiro número, agora já sob a forma de revista, tudo feito com recursos próprios.

A organização da Confederação Nacional deu-se no 3º Congresso Nacional, realizado no Colégio 2 de Julho, em Salvador, BA, em 1958, com a presença de representantes e 35 Federações e 6 Confederações Sinodais. Durante o Congresso chega a notícia de que o Supremo Concílio votou pela organização da Confederação  Nacional do Trabalho Feminino. É eleita a Dª Blanche Lício como primeira Presidente Nacional. São nomeadas as primeiras Diretoras ou Assessoras (depois chamadas de Secretárias de Atividades).

O 4º Congresso Nacional reúne-se de 6 a 13 de janeiro de 1962, em São Paulo, no Instituto Mackenzie, com a presença de delegadas de 42 Federações e de 6 Confederações Sinodais e irmãs visitantes do Uruguai, Chile e Argentina. A Presidente eleita foi Dª Nympha Protásio de Almeida. Nesta ocasião é elaborado o distintivo da SAF e criada a taxa per capita.

O 5º Congresso aconteceu de 8 a 16 de janeiro de 1966, no Colégio Batista, no Rio de Janeiro, com 46 Federações e 5 Confederações Sinodais presentes, reelegendo toda a Diretoria anterior. É criada a primeira SAF do Rio Grande do Sul.

Em 1970, de 13 a 18 de janeiro, em Vitória, ES, realiza-se o 6º Congresso Nacional, com a presença de 53 Federações e 12 Confederações Sinodais, num total de 211 delegadas. Como Presidente é eleita Vilma Jerusa Pimentel Motta e como Secretária Geral o Supremo Concílio elegeu Dª Celly Moraes Garcia. A SAF cuida da Liga Juvenil. A SAF em Revista chega a 7.500 exemplares por publicação. A Casa Editora Presbiteriana publica e faz a expedição da mesma.

O Seminário Presbiteriano do Sul hospedou o 7º Congresso, de 23 a 26 de janeiro de 1974, com 251 delegadas de 71 Federações e 14 Confederações Sinodais, sendo a Presidente reeleita. O trabalho continua a crescer.

Agora é Brasília que hospeda o 8º Congresso Nacional, de 22 a 26 de janeiro de 1978, com 352 delegadas de 81 Federações e 15 Confederações, sendo eleita Célia Goulart de Freitas Tavares como Presidente. A Diretora de Cultura e Artes, Irma de Oliveira Silva, incentivado o uso de bandeiras pelas Federações. É feita a terceira atualização do Manual. 1982 é encerrado com 34.194 sócias, sendo 22 Confederações Sinodais e 99 Federações. O uniforme é adotado para as delegações ao Congresso Nacional. D. Edna Costa é a nova Secretária Geral, além de confeccionar a SAF em Revista e coordenar a revista Juvenis por Cristo, redigida pela Dª Custódia Scultori Tavares da Silva, da 1ª IPB de Niterói, RJ.

O 9º Congresso se dá em Nova Iguaçu, RJ, de 2 a 7 de fevereiro de 1982, sendo eleita Célia de Ávila Cruz. Nesse quadriênio é comemorado o centenário do trabalho feminino na IPB. É confeccionada a bandeira da Confederação Nacional, modificada posteriormente para o modelo atual.

Belo Horizonte, MG abriga o 10º Congresso Nacional, de 21 a 25 de janeiro de 1986, no Mineirinho, com a presença de 112 Federações e 27 Confederações, num total de 244 delegadas, sendo eleita Eunice Souza da Silva a Presidente. O Supremo Concílio elege a Dª Josélia Cunha Carvalho a nova Secretária Geral. É instituído o dia 11 de novembro como o Dia Nacional das SAF´s. No final desse quadriênio havia 153 Federações e 35 Confederações Sinodais.

O 11º Congresso realizou-se em Londrina, PR, de 23 a 27 de janeiro de 1990, com a presença de 143 Federações e todas as Confederações, num total de 351 delegadas. A primeira Presidente da Confederação Nacional de Mocidade da IPB, Eloísa Helena Chagas Monteiro Alves, recém eleita, (hoje Secretária Executiva), visita o evento. É eleita a nova Presidente Niracy Henriques Bueno. Durante o quadriênio são realizados sete Encontros Regionais para treinamento e troca de experiências.

Em São Bernardo do Campo, SP, de 25 a 29 de janeiro de 1994, acontece o 12º Congresso Nacional, com a presença de 159 Federações e 43 Confederações Sinodais, num total de 328 delegadas. Em todos os Congressos realizados há a presença de uma representante estrangeira.

O novo Manual Unificado das Sociedades Internas – MUSI – é posto em prática. A Diretoria tem mudança em sua formação, com a inclusão de 5 Vice-Presidentes (uma para cada Região do Brasil) e a Secretária Executiva, além de duas Secretárias e não mais só uma. A Dª Myrthes Silva é eleita a nova Presidente e a Secretária geral é a Presidente anterior Eunice Souza da Silva. É o quadriênio das Missões. Com a mudança das cores da Igreja Presbiteriana e do modelo da sarça feitas pelo Supremo Concílio, foi alterada a logomarca da SAF, com a nova sarça e fundo cinza e a bandeira foi redesenhada, com orientação para as Confederações Sinodais, Federações e SAF´s padronizarem suas bandeiras. O Museu do Trabalho Feminino é organizado.

O 13º Congresso Nacional acontece de 12 a 18 de janeiro de 1998, em Brasília, DF, com a presença de 399 delegadas de 187 Federações e 50 Confederações. A nova Presidente é Dª Leontina Dutra da Rocha, que escreve alguns livretos de orientação para o trabalho. É criado o site da SAF.

De 5 a 9 de março de 2002, em Guarapari, ES, acontece o 14º Congresso Nacional, já com 518 delegadas de 55 Confederações e suas Federações. A Presidente é reeleita. Nesse período foram realizados Encontros Regionais, liderados pelas Vice-Presidentes Regionais. Grande foi o 1º Encontro Nacional da Mulher Presbiteriana, realizado em Serra Negra, SP, com a presença de 1.008 pessoas de todo o Brasil.  A Dona Onilda Portela Peixoto foi a Secretária Geral no período.

Chegamos aos dias atuais. A Dª Anita Eloísa Chagas foi eleita como Presidente no 15º Congresso Nacional, realizado em Sumaré,SP, com a presença de quase 600 delegadas. Pela primeira vez mãe e filha integram a mesma Diretoria Nacional. Dona Eunice Souza retornou à Secretaria Geral. Niracy Bueno, também Ex-Presidente, retorna a Diretoria. Os Encontros Regionais continuaram. O 2º Encontro Nacional da Mulher Presbiteriana é realizado em Aracruz, ES, com a presença de 941 pessoas. O trabalho continua a crescer. A SAF em Revista chegou a 40.000 exemplares por tiragem. Hoje somos 66 Confederações Sinodais e mais de 250 Federações.


LOUVADO SEJA O SENHOR, ALELUIA!!!

Texto do histórico escrito por Eloísa Helena Chagas Monteiro Alves.

FONTES: Sociedade Auxiliadora Feminina: 120 anos de bênçãos/Leontina Dutra da Rocha, organizadora – São Paulo: Cultura Cristã, 2004.

Ferreira, Júlio Andrade: História da Igreja Presbiteriana do Brasil, vol. II – São Paulo: Casa Editora Presbiteriana, 1992.


www.ipb.org.br.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT