QUAL É O GRILO?

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP
Pastoral boletim 02.10.11 

Quando sou fraco, então é que sou forte” 2 Coríntios 12:10b. 

Pequenos conflitos são situações aparentemente fáceis de resolver, aquelas coisas inexpressivas do dia a dia que conseguimos solucionar com um pequeno esforço. Mas é nessas coisas pequeninas que muitas vezes tropeçamos, fazemos delas gigantes quando na verdade não passam de coisas tão pequenas, como um grilo estridulando (cantando) dentro de casa. “Cri-cri” faz o pequeno inseto, inocentemente, buscando uma companheira para procriar, e como nos irrita... Vejamos alguns “grilos” que podem nos perturbar: uma palavra que não caiu bem, uma resposta que machucou, a falta de alguma coisa, a ausência de algo ou de alguém, etc. São as pequenas coisas que quando somadas podem nos estressar e causar males. E aí, qual é o teu grilo?

O orgulho em comum. O que essas situações têm em comum é que na maioria das vezes se fortalecem no nosso orgulho e obstinação. Fazemos tempestades em copos de água quando não queremos descer do nosso pedestal (que é da altura de uma caixa de fósforo deitada). Não somos nada e queremos ser mais que os outros. Não desejamos nos humilhar e sempre queremos ter a última palavra. Se alguém nos desrespeita e não nos reconhece logo ficamos abatidos e até nos irritamos. Não podemos ser assim, precisamos saber lidar com essas pequenas coisas, os tais insetos que tanto nos incomodam.

Buscando a cura interior. Precisamos aprender a suportar as pequenas coisas como elas são: pequenas. Talvez a razão de coisas tão pequenas causarem tanto dano é porque estamos com o nosso coração ferido. Quando temos um membro ferido, seja uma luxação ou uma unha encravada, por exemplo, basta tocar no local para sentirmos uma dor intensa. Creio que existe a nossa alma também fica sensível quando está ferida, doente. Por isso precisamos andar com o Salvador, falando com Ele e expondo nossas dores interiores e pedindo-Lhe a cura. Quando formos curados já não sentiremos mais tanta dor por coisas tão ínfimas. Queres ser curado? O caminho da cura da alma é o perdão. O perdão liberta e cura a nós mesmos e nossos relacionamentos. Se fomos perdoados por Deus, quem somos nós para não perdoarmos alguém? Se você tem dificuldade em perdoar, ou até em desejar perdoar, peça ajuda ao Senhor. É Ele quem nos capacita a caminhar.

Ser forte. Encaremos as nossas fraquezas como oportunidades de crescimento. “Quando sou fraco, então é que sou forte” (2 Co 12:10b) tem esse sentido. Quando nos virmos diante dessas situações, lembremos dessas palavras que fazem sentido para todos, afinal todos temos fraquezas. Talvez nesse exato momento estejamos enfrentando essas situações que são pequenas e fáceis de resolver, mas vez por outra se avolumam e querem nos abater. Sejamos humildes (fracos) e então seremos fortes para vencer os grilos do dia a dia. Simples assim!


"Tem misericórdia de mim, SENHOR, porque sou fraco; sara-me, SENHOR (...)" Salmos 6:2a.

S.D.G. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT