A FINALIDADE DOS ESPINHOS

3ª IPB de Barretos / SP
11.09.11 Culto Vespertino Especial de Aniversário
Pregador: Rev. David Cestavo


TEXTO BÁSICO - 2 CORÍNTIOS 12:1-10
12.1   Se é necessário que me glorie, ainda que não convém, passarei às visões e revelações do Senhor. 
12.2   Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) 
12.3   e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) 
12.4   foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir. 
12.5   De tal coisa me gloriarei; não, porém, de mim mesmo, salvo nas minhas fraquezas. 
12.6   Pois, se eu vier a gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas abstenho-me para que ninguém se preocupe comigo mais do que em mim vê ou de mim ouve. 
12.7   E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. 
12.8   Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. 
12.9   Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. 
12.10   Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.


(Esboço do sermão)


1 - Manter o Orgulho Sob Controle (vs.7)

2 - Despertar a Vida de Oração (vs.8)

3 - Revelar a Suficiência da Graça (vs.9a)

4 - Aperfeiçoamento em Poder (vs.9b)

5 - Mostrar a Força da Dependência (vs.9c)

6 - Nos Identificar com Cristo (vs.10a)
"Sinto prazer" ... "por amor a Cristo".

7 - Para Tirar a Ênfase do Esforço Próprio (10b)
"Quando sou fraco sou forte".


O Rev. David é pastor da IPB Central de Lavras / MG.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL