NOSSA HISTÓRIA

TERCEIRA IGREJA PRESBITERIANA DE BARRETOS
Resumo da história da Igreja por Dna. Hilda Visotcky da Silva

O trabalho começou por volta do ano de 1938, com reuniões semanais de estudos bíblicos, que eram realizados na residência da irmã Maria Julia Camargo, na Av. Campinas, no Bairro Frigorífico. Esse trabalho era um Ponto de Pregação da IPB Central de Barretos, que semanalmente enviava um presbítero para dirigir a reunião e dar os estudos. Periodicamente o pastor da Igreja Central dava assistência.

Nessa época o Bairro Frigorífico era muito populoso, com quase 3000 habitantes e toda uma infra-estrutura: Posto de Saúde, agência dos Correios, Cooperativa, escola, armazém, restaurante, padaria, campo de futebol, cinema e estação de rádio. Toda essa estrutura pertencia ao Frigorífico que cedia os locais para funcionamento.

Depois de um certo tempo, o trabalho passou a ter Escola Bíblica Dominical, crescendo rapidamente e necessitando de mais espaço para acomodar as pessoas. A direção do Frigorífico foi procurada pelos líderes do Ponto de Pregação, e resolveram ceder o uso do cinema para que os cultos e reuniões fossem realizados. Nessa fase então o Ponto de Pregação saiu da casa da irmã Maria Julia e passou a se reunir no cinema do bairro. Depois de mais um período de tempo o trabalho saiu do cinema e passou a acontecer na escola, que era conhecida por “escolinha”. Nessa época começou a construção da Igreja.

O pastor na época era o Rev. Milton Dalgert, através do qual foi feito contato com a administração da Cia. S/A Frigorífico Anglo, que cedeu o terreno onde foi construída a Igreja. A obra durou cerca de 3 anos, após os quais a Igreja foi finalmente organizada no dia 07 de setembro de 1943. Quando de sua organização foram ordenados os primeiros presbíteros e diáconos, e o responsável pelo trabalho continuou sendo o Rev. Milton.

Na década de 1960 aconteceu algo que ninguém imaginava, quando a direção da Cia. começou a dispensar muitos funcionários por conta de questões trabalhistas e entre-safra. Uma vez dispensados os ex-funcionários desocupavam as casas e mudavam de bairro e até de cidade por causa de seus novos empregos. Em conseqüência a Igreja perdeu muitos membros, o trabalho decaiu muito passando por uma fase difícil e chegou a se tornar Congregação Presbiterial. 


De 1982 a 1999 o trabalho caminhou sob a responsabilidade da IPB Central de Barretos que por dois anos manteve uma escala de presbíteros que vinham até a Congregação trazer uma palavra nas Escolas Dominicais e Cultos. Após este período foi nomeado como responsável pelo trabalho o Pb. Dimas Narcizo, que incansavelmente lutou como responsável durante 15 anos. Foram incontáveis os cultos, as EBDs, visitações, aconselhamentos, etc. Realizando um verdadeiro trabalho pastoral, o Pb. Dimas “vestiu a camisa” de fato, sacrificando-se em favor do Reino de Cristo, sem reclamar nem retroceder, dando o exemplo de um verdadeiro servo de Deus, sempre apoiado e acompanhado por sua família: Áurea (esposa), Clariça, Priscila e Daniel (filhos). Ele recebeu o título de Presbítero Emérito da Terceira IPB de Barretos em reconhecimento e gratidão a Deus por seus esforços.

Duas famílias permaneceram durante este período, que sem dúvida foi o período mais difícil pelo qual a congregacação passou; foram as famílias Soares e Visotcky. Juntos estes irmãos não desistiram jamais do sonho de ver a Igreja novamente reorganizada, e foi assim que todos lutaram e batalharam insistentemente até verem o trabalho progredir e crescer novamente.

A vinda de novas famílias alavancou o processo de reorganização da Igreja. Deus por Sua infinita graça trouxe para o convívio da fé as famílias Garcia (Pb. Jânio), e Garrucho (Pb. João), que desde então têm trabalho e colaborado fielmente para o avanço da obra de Deus neste lugar, juntamente com os demais irmãos e irmãs.


E assim foi caminhando até que em 11 de junho de 1999 a Igreja foi reorganizada pelo Presbitério de Araraquara.

Foram inúmeros os pastores, evangelistas, seminaristas, presbíteros e diáconos que passaram por esta Igreja. Não desejamos cometer nenhuma injustiça, e pedimos perdão se não nos lembrarmos de todos, mas citaremos alguns nomes que recordamos neste momento.

Seminaristas e Evangelistas: Silvio Pedroso, Athaídes Costa, Nagib, Marcílio Ribeiro, Milburge Ribeiro, Auricimar, Almir Durães, Pb. Dimas Narcizo.

Reverendos: Milton Dalgert, Teófilo Carnier, Josué Spinafrança, Domingos Fernandes, João Emerick, Gilmar Ramos, Gilmar Lima, Paulo Epifânio, Magno, José Português, Valdevino Pugas, Uriel Remy Rios, Jonatas Abdias, Melquisedeque e atualmente Paulo Sergio da Silva.


(Um resumo do texto acima foi publicado em nosso boletim semanal de 19/06/11).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL