O NAUFRÁGIO DO CASAMENTO

“Porque o Senhor, Deus de Israel, diz que odeia o repúdio (...) portanto, cuidai de vós mesmos e não sejais infiéis.” Malaquias 2:16.

Deus instituiu o casamento, não o divórcio. O divórcio é permitido, mas não ordenado. O divórcio é fruto da dureza do coração, da incapacidade de perdoar. O divórcio é a quebra da aliança conjugal, é o naufrágio do casamento. Deus odeia o divórcio (Ml 2:16). O divórcio está em alta porque o casamento está em baixa. Se investíssemos no casamento, teríamos menos divórcios. Se compreendêssemos melhor os princípios de Deus para o casamento seríamos menos pressionados na busca do divórcio.

Jesus disse que precisamos nos voltar para as Escrituras para vermos os fundamentos do casamento, antes de falarmos em repúdio (Mt 19:3-9). Só encontramos na Bíblia duas cláusulas de exceção para o divórcio: a infidelidade (Mt 19:9) e o abandono (1 Co 7:15). Divorciar-se e casar-se de novo sem esse amparo é cometer adultério. Está claro à luz da Palavra que o divórcio não é algo insignificante, pois traz dor, lágrimas e feridas; machuca os cônjuges, os filhos, a família, a Igreja, e ainda, adoece a sociedade.

Oremos
Senhor Deus, o casamento foi criado para ser uma aliança inquebrável, indissolúvel. Liberta-me do espírito deste tempo, cuja banalização do casamento é uma de suas marcas. Em nome de Jesus, amém.

Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL