A FAMÍLIA EM FOCO - PAIS FELIZES

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 22.05.11


"E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor." Efésios 6:4.

INTRODUÇÃO

De quem são os filhos? Os filhos não são nossos, eles são de Deus. Deus é dono de tudo, o mundo e tudo que nele há é propriedade de Deus. Ele é o Criador e Senhor de todas as coisas. Tudo que existe é propriedade dEle. Portanto os nossos filhos não são NOSSOS, eles são de Deus que delegou a nós a responsabilidade de criá-los e ensinar-lhes o caminho correto. Nesse sentido, nós pais somos mordomos de Deus e temos o dever de cuidar bem dos nossos filhos, pois todos nós pertencemos a Deus.

EXPLICAÇÃO
Deus tanto se preocupa com a família que deu a ela lugar de destaque em Sua Palavra. Encontramos nas cartas paulinas diversos preceitos que são base segura para a edificação do lar cristão. Tanto aqui em Efésios como em Colossenses, Coríntios e nas Cartas a Timóteo encontramos diversas orientações de Deus para maridos, esposas, pais e filhos.

Tais ensinamentos são de vital importância para o bem estar da família, e o seu progressivo abandono é a causa da falência de tantos lares que estão sendo literalmente destruídos atualmente.

ARGUMENTAÇÃO
O tema aqui abordado é muito extenso e certamente nesse espaço não será possível dissecá-lo totalmente. Livros e mais livros são escritos, congressos e cursos são dados com o intuito de preparar e aprimorar pais e líderes para essa tão difícil e primordial tarefa. Analisaremos aqui o texto lido e algumas implicações do mesmo na vida cotidiana do lar. Certamente encontramos aqui os princípios básicos para os pais que desejam dedicar-se na sublime tarefa de preparar os filhos para a vida.
 
1 – EDUCAR COM RESPONSABILIDADE
Podemos assim sintetizar a idéia do versículo vs. 4. É preciso que os pais tenham sabedoria e responsabilidade para educar os seus filhos. Como foi dito acima, eles são jóias preciosas e não nos pertencem, mas são do Senhor. Nós, pais, vamos prestar contas a Deus pelo que fizermos ou deixarmos de fazer com estes cordeirinhos do Senhor. Por isso, PAIS, muita atenção ao ensinamento.

Este versículo é interpretado de duas maneiras diferentes: a ira citada no texto refere-se à ira dos filhos ou a ira de Deus?

IRA DOS FILHOS OU IRA DE DEUS?

DOS FILHOS - Dentro dessa interpretação, os pais não deveriam importunar e nem irritar seu filhos. A ira nesse caso seria dos filhos, fruto de algum tipo de arbitrariedade, abuso de autoridade, ou falta de sabedoria dos pais. Isso pode ocorrer, pois a autoridade que os pais têm sobre seus filhos deve ser exercida com amor e responsabilidade, porém, nem sempre é o que acontece. Mas não creio que seja isso que o autor de Efésios também tinha isso em mente. Esse pensamento está mais claro em Cl 3:21 que diz:
“Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” Cl 3:21.

DE DEUS - Creio que o modo correto de se interpretar Ef 6:4, é que os pais não causem a ira de Deus sobre seus filhos. Como isso poderia acontecer? De que modo os pais poderiam causar um mal tão grave como esse, provocando a ira de Deus sobre seus próprios filhos? Deixando de exercer a sua autoridade sobre eles através da disciplina e na admoestação; não lhes ensinando os princípios da Palavra de Deus, mas bajulando-os e mimando-os, desse modo tornando-os rebeldes, teimosos, mandões, desobedientes, carnais e mundanos.

CONTEXTO PRÓXIMO - Essa segunda forma de entender o texto tem reforço no próprio texto, que é partícula “MAS” que une a primeira com a segunda parte do texto, dando o entendimento que a prática da disciplina e a admoestação no Senhor, é o modo de não causar a ira de Deus na vida dos filhos. Se o sentido fosse a ira dos filhos e não a ira de Deus, a disciplina não causaria tanta controvérsia, pois quando os pais exercem a disciplina, a primeira reação dos filhos não é a aceitação passiva, mas a contestação e o nervosismo, ou seja, a própria ira.

CONTEXTO REMOTO - A idéia encontra reforço em outros textos de outros livros da Bíblia. Citarei apenas um texto: Provérbios 23:13,14 que diz:
“13 Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. 14 Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.”

Educar os filhos é a arte de moldar do caráter deles. Aos pais foi dada essa incumbência que deve ser cumprida com temor e tremor diante de Deus. A educação dos filhos na Palavra de Deus (Educação Cristã) é algo tão importante, e requer dos pais que tenham a exuberância de um testemunho íntegro diante de Deus, encarando sempre essa tarefa como um ministério que eles receberam da parte de Deus.

A idéia de Ef 6:4 é que os pais podem afastar seus filhos da ira divina que se manifestará sobre toda a Terra, através de um modo de educar com responsabilidade e temor diante de Deus. Como praticar esse tipo de educação? O que o texto bíblico nos diz? É o que veremos a seguir.

2 – DISCIPLINAR COM AMOR
A primeira ação dos pais em destaque no texto de Efésios 6:4 é a disciplina. Esse tema é descartado por muitos pais e educadores que questionam esse princípio bíblico de educação.

Avaliaremos a seguir alguns versículos no livro de Provérbios, onde a disciplina é exposta como uma forma de treinamento corretivo positivo para conduzir as crianças à sabedoria e ao domínio próprio.

Disciplinar é um ato de amor. Cuidado com as palavras ofensivas, com o nervosismo e o ódio.
“O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.” Pv 13:24.

Disciplinar não é torturar ou espancar. Isso deseduca e destrói ao invés de educar e construir.
“Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.” Pv 19:18.

A disciplina traz livramento e paz, pois a estultícia (ausência de sabedoria) trará consigo o desgosto e a tristeza.
“A estultícia (rebeldia) está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela.” Pv 22:15.

Disciplinar para ensinar o temor do Senhor.
“Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.” Pv 23:13,14.

Disciplinar para dar sabedoria e domínio próprio.
“A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe. Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma.” Pv 29:15,17.

CORREÇÃO E LIMITES - A questão da disciplina é muito séria e pode ser exercida de diversas maneiras: a vara para as crianças é indicada em casos extremos e até uma certa idade. Haverá um tempo em que os pais colherão os efeitos do que semearam na vida de seus filhos desde a mais tenra idade. Mas disciplinar não é somente usar a vara, ela é o último recurso. Uma boa conversa, a chamada de atenção e as proibições são outros modos de se aplicar a disciplina, e em muitos casos funcionam mais do que a vara. Educar é ensinar à criança os limites que ela tem. Na adolescência a disciplina deve ser aplicada com muito mais sabedoria: conversando, “dando bronca”, e se for necessário, e aplicando o castigo das privações que são proibições, limites impostos pelos pais para o bem de seus filhos.

Acima de tudo os pais precisam desenvolver em seus filhos a consciência de que eles são seus melhores amigos, os AMIGOS DE VERDADE, e que desejam sempre o bem de seus filhos. Após uma correção pais e filhos não devem “ficar de mau”, sem conversar, amargando ódio uns pelos outros. É preciso que tudo seja feito com amor, diálogo e oração, e os pais tem o dever de exercer a iniciativa e a autoridade. Assim os filhos desde pequeninos entenderão que os pais os tratam assim porque os amam, e desejam que eles aprendam o que Deus ensinou na Palavra porque valorizam a Palavra de Deus.

Por isso os pais também admoestam seus filhos, que é o nosso próximo ponto.

3 – ADMOESTAR COM AUTORIDADE

A família deve ser uma comunidade de ensino e aprendizado a respeito de Deus e da piedade (observância das Escrituras). Os filhos, sejam eles crianças, adolescentes ou jovens, devem ser instruídos e encorajados a usar essas instruções como base para a sua própria vida. Em vários textos temos a orientação segura quanto ao ensino da Palavra de Deus aos filhos desde a mais tenra idade e que pode dar-lhes um coração temente a Deus e por fim a vida eterna.

Vivemos hoje uma crise de autoridade dos pais. Muitos pais não tem exercido a sua autoridade no lar porque não vivem aquilo que a Bíblia manda, não tem sido o modelo, o exemplo para seus filhos e filhas.

“Tão-somente guarda-te a ti mesmo e guarda bem a tua alma, que te não esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos os dias da tua vida, e as farás saber a teus filhos e aos filhos de teus filhos.” Dt 4:9.

Cabe aos pais a grandiosa tarefa de LIDERAR COM HUMILDADE, e AMAR COMO CRISTO AMOU. Certamente isso não é nada fácil, mas é o que Deus quer de cada um de nós, pais.

4 – ENSINAR A PALAVRA DE DEUS
Deuteronômio 6:4-9
“4 Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. 5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. 6 Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; 7 tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. 8 Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. 9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.”

Notemos que para ensinar e educar com responsabilidade os pais também precisam viver o que estão ensinando.
Vs. 4 – o Senhor é verdadeiramente o Senhor dos pais?
Vs. 5 – não basta que os pais falem acerca de Deus, é necessário que eles de fato amem a Deus “...de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.” O amor a Deus nos aproxima dEle. Como é o procedimento dos pais em seus lares? O que os filhos vêem na vida cotidiana do lar?
Vs. 6 – os pais amam a Palavra de Deus? A Bíblia é lida pelos pais em casa?
Vs. 7 – para falar tanto assim da Bíblia é necessário que os pais procurem praticar mesmo o que estão falando, do contrário não surtirá o efeito desejado, mas um efeito totalmente negativo, em que os filhos entenderão que os seus pais estão fingindo ser cristãos e ordenando algo que nem eles mesmos desejam para as suas vidas.
Vs. 8 – por isso a Palavra deve estar presente em nossas decisões e muito mais do que meras teorias, mas fazendo parte de nossas ações e decisões (mãos), e pensamentos e idéias (todo teu entendimento). Essa fé se fará visível até no rosto daqueles que a amam (frontal entre os olhos).
Vs. 9 – aos pais cabe a obrigação de controlar o que entra na casa onde a família habita. Desde cedo os filhos verão que seus pais amam tanto a Palavra de Deus que até adornaram a casa escrevendo a Palavra de Deus nas paredes e nas portas (quadros, etc). A Bíblia passará a fazer parte de tudo que essa família faz trazendo orientação e influenciando as decisões. A Palavra de Deus tem poder para forjar o caráter e transformar a vida das pessoas.

Aqui também se aplicam as palavras de 1 Timóteo 5:8.
“Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente.”

Muitos pais pensam que cuidar é apenas prover a alimentação e os meios necessários para a sobrevivência da família, mas cuidar é muito mais que isso. A provisão de ensino é muito mais importante.

O grande problema de muitos lares é a incoerência e falta de responsabilidade dos pais diante de Deus. Existem muitos casos em que os pais são os mestres de pecado de seus filhos, onde os pais por não crerem e não amarem a Bíblia, a desprezam e praticam todo tipo de males. Mas aqueles pais que seguem o padrão ensinado por Deus, colherão o fruto de seu trabalho e verão o resultado de seu esforço na vida de seus filhos.

É necessário que os pais tomem a decisão e tenham a convicção de Josué.
“Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” Josué 24:15b.


CONCLUSÃO FILHOS
Amem seus pais, mas não somente de palavras, amem de coração, honrando-os e obedecendo-os. Se os seus pais não servem a Cristo e por isso não obedecem a Palavras de Deus, então é necessário que você se veja como um (a) missionário (a) em seu lar. Testemunho, vida, oração... Aproveitem bem as oportunidades para transmitir o amor de Deus. Que seus pais, sua família vejam vocês como verdadeiros (as) filhos (as) de Deus. Assim vocês serão abençoados pelo Senhor Deus, e estarão dando provas de que realmente amam aos seus pais e acima de tudo, amam ao próprio Deus. Lembrem que um dia seus pais foram filhos, passaram por tudo que vocês estão passando; e que vocês também passarão pelo que eles estão passando, pois um dia vocês se casarão, constituirão família e serão os pais. Portanto aprendam hoje, semeiem hoje para que possam colher amanhã. E sejam filhos abençoadores.

PAIS
Procurem viver a vida do lar com simplicidade, responsabilidade, respeito, e acima de tudo AMOR. Procurem conhecer a Bíblia através de sua leitura sistemática. Creio firmemente que a leitura traz o conhecimento e o conhecimento traz o crescimento na fé e na espiritualidade. O culto doméstico tem um papel preponderante na vida dos lares cujos pais desejam abençoar seus filhos com o ensinamento e a educação que vem do Senhor Deus. Não podemos ser “igrejistas”, isto é, crentes que são crentes apenas na igreja. Precisamos ser crentes em todos os lugares, a começar em nossos lares. Os pais são como pastores em seus lares. Cumpramos nossa tarefa, nossa missão, nosso ministério. Entendamos que podemos e devemos ser os formadores de opinião de nossos filhos. Não sejamos um mau exemplo, um mau testemunho em nosso próprio lar. Tenhamos humildade e maturidade para amar e saber como lidar com nossos filhos. Se alguns pais tem filhos que não servem a Cristo, eles precisam se enxergar como missionários no lar. Dê testemunho de sabedoria e amor, tenha uma vida com Deus, vida no altar, vocês são observados todo tempo. Saibam aproveitar cada oportunidade para que, além de serem pais crentes, sejam os amigos de seus filhos, e sejam também influenciadores. Com a graça de Deus vocês poderão ganhar os seus filhos para Cristo.

AMOR E ORAÇÃO
O amor é a base de tudo na vida cristã. Sem o amor, tudo perde o seu valor e o seu sentido. O amor cristão é o diferencial em todas as relações, seja entre pais e filhos, maridos e esposas. Pais, amemos nossos filhos de todo o nosso coração, pois assim erraremos menos, e mesmo que erremos teremos capacidade para nos reconcilicar com eles. Se precisarmos aplicar algum corretivo, com amor poderemos esperar mudanças e transformações. Sem amor as admoestações tomam o caráter de brigas e descontrole emocional. Associemos ao amor as nossas orações, pois sem elas a vida torna-se um deserto espiritual. A educação deve ser aplicada com oração e súplicas para que o Senhor seja o Senhor da vida deles.

Fazendo assim estaremos agindo rumo à vontade de Deus.

Que Deus abençoe nossas famílias!

S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL