A IMPORTÂNCIA DA AMIZADE NO CASAMENTO

Por: Pr. Sergio Leoto

“O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade’. ‘O homem que tem muitos amigos, sai perdendo; mas há amigo mais chegado que um irmão’. ‘Como o ferro com o ferro se afia, assim o homem ao seu amigo’. ‘Leais são as feridas feitas pelo que ama; porém os beijos de quem odeia são enganosos.” 

Provérbios 17:17; 18:24; 27:6; 27:17.

O psicólogo John Gottman relata em seu livro “Sete Princípios Para o Casamento dar Certo” (Ed. Objetiva), como durante 16 anos conduziu uma das pesquisas mais inovadoras sobre casamento e divórcio, utilizando-se da estrutura da Universidade de Washington.

Casais voluntários eram selecionados para passarem um fim de semana numa “casa monitorada” (tipo “Big Brother”). Todas as reações e conversas foram filmadas e os cônjuges tinham até monitoramento de pressão e temperatura do corpo. Neste tempo, mais de 700 casais foram avaliados e a conclusão de Gottman foi de que a amizade é o fator comum aos casamentos que deram certo e não terminaram em divórcio. Estes dados, com todos estes testes, comprovaram cientificamente a importância da amizade dentro do casamento.

Resolvi cruzar os dados do livro de Gottman, com outras pesquisas sobre “casamentos saudáveis e de longa duração”, para um trabalho de conclusão de curso na Pós-Graduação em Aconselhamento que realizei. Encontrei mais quatro pesquisas (Fennel-1987; Lauer e Kerr-1990; Sharlin-2000 e Brasil-2004) feitas em épocas diferentes (revista “Estudos de Psicologia”, vol.9, no.3, Natal, 2004).

Adivinhem o que eu descobri? O cruzamento das qualidades mencionadas nas cinco pesquisas realizadas revelou áreas com características comuns encontradas nos casamentos felizes e duráveis. São elas: 


1. AMIZADE (conhecimento íntimo, segurança, confiança); 

2. RESPEITO (consideração, compromisso); 

3. PRAZER EM ESTAR JUNTO (afeição, admiração, humor, divertir-se); 

4. COMUNICAÇÃO ABERTA (voltar-se para o outro, aceitar suas opiniões); 

5. BOA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS (habilidade em decidir, superar impasses); 

6. VALORES COMUNS (significados na vida, vida espiritual, integridade, honestidade); 

7. CHAMAS DO ROMANCE (sexo, afeição demonstrada, fidelidade).

O interessante é que estes pesquisadores chegaram a conclusões que o povo de Deus já conhece, pois todas as sete áreas mencionadas contêm valores do REINO DE DEUS. Mas INFELIZMENTE a prática destes valores anda em baixa, na vida de muitos casais cristãos.

Alcançar um casamento saudável, não é uma meta fácil de ser atingida. Porém se observarmos certos princípios de relacionamento, torna-se um alvo com boas possibilidades de sucesso. Afinal, Deus nos fez “seres que se relacionam uns com os outros”. Desde o primeiro ano de vida, traços da personalidade que se evidenciam, contribuirão de maneira positiva ou negativa nos vínculos futuros.

As características básicas para um relacionamento conjugal saudável, portanto, vão se formando ao longo do desenvolvimento do ser humano. Ao tornar-se adulto, cabe a ele a responsabilidade de lutar para seu bem estar social, independente de a vida lhe ter proporcionado aspectos favoráveis ou desfavoráveis.

A base para um casamento saudável, segundo Gottman, é a amizade em lugar da briga constante. O autor afirma: 


“Meu programa tem como base a simples verdade de que os casamentos felizes se baseiam numa profunda amizade. Isso significa respeito mútuo e prazer na companhia um do outro. Esses casais em geral, se conhecem intimamente – são versados em mútuas preferências, aversões, peculiaridades pessoais, esperanças e sonhos. Tem permanente consideração um pelo outro e expressam afeição não apenas de forma notória, mas de forma sutil, nas pequenas coisas do dia-a-dia. (...) A amizade alimenta as chamas do romance porque oferece a melhor proteção contra a sensação de serem adversários um do outro.” (“Sete Princípios Para o Casamento dar Certo”, Ed. Objetiva, pgs.31-32).

Ficamos felizes até em ler aquelas sete áreas descobertas nas pesquisas. Há concordância em considerá-las importantes ao casamento e temos prazer em citá-las, como sendo de vital relevância para uma união duradoura. A prática de cada uma delas é o desafio de todos nós como seres humanos. Mas não apenas os casamentos ganharão. A saúde produzida em cada área mencionada trará seus efeitos a nós como indivíduos, como casal, aos nossos filhos e em última análise a toda a sociedade.

Que tal fazer do seu cônjuge (se ainda não o é), SEU MELHOR AMIGO? Invista mais tempo em estar junto, em conversas, romance, carinho, afeição... Enfim, coisas que talvez você já fez muito bem um dia e agora precisa voltar a fazer!

Clique aqui e visite o site do autor.

Comentários

  1. Tópico perfeito... A mizade segura a barra quando um casamento entra em crise... sem ela, o fim se torna irrversível...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário irmão! Sim, precisamos desenvolver a amizade para que o casamento sobreviva...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

FIQUE A VONTADE, DEIXE SEUS COMENTÁRIOS!!!

Obs: comentários serão bem-vindos se forem educados e não usarem termos ofensivos. Podemos discordar, mas vamos procurar manter o nível da educação e do respeito. Obs.: ao comentar identifique-se, pois não publicamos comentários anônimos.

Best regards in Christ, God bless you!!!

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT