O PODER DA FÉ

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva

3ª IPB de Barretos
Culto Vespertino 17.10.10


TEXTO BÁSICO – João 4:46-54

4.46   Dirigiu-se, de novo, a Caná da Galiléia, onde da água fizera vinho. Ora, havia um oficial do rei, cujo filho estava doente em Cafarnaum.  4.47   Tendo ouvido dizer que Jesus viera da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele e lhe rogou que descesse para curar seu filho, que estava à morte.  4.48   Então, Jesus lhe disse: Se, porventura, não virdes sinais e prodígios, de modo nenhum crereis.  4.49   Rogou-lhe o oficial: Senhor, desce, antes que meu filho morra.  4.50   Vai, disse-lhe Jesus; teu filho vive. O homem creu na palavra de Jesus e partiu.  4.51   Já ele descia, quando os seus servos lhe vieram ao encontro, anunciando-lhe que o seu filho vivia.  4.52   Então, indagou deles a que hora o seu filho se sentira melhor. Informaram: Ontem, à hora sétima a febre o deixou.  4.53   Com isto, reconheceu o pai ser aquela precisamente a hora em que Jesus lhe dissera: Teu filho vive; e creu ele e toda a sua casa.  4.54   Foi este o segundo sinal que fez Jesus, depois de vir da Judéia para a Galiléia.

INTRODUÇÃO
Existem determinadas questões que parecem ser complicadas, mas na verdade são simples de se resolver. Dentro da teologia um dos temas que mais geram confusões e debates de idéias, é a FÉ. Esse é um dos temas mais importantes da vida cristã, e o seu entendimento fará toda a diferença no modo como vivemos e interagimos com o mundo no qual estamos inseridos. O personagem bíblico não questionou Jesus, não fez mil perguntas e nem duvidou; ele simplesmente creu e o seu filho foi curado.

Podemos entender as linhas mais radicais de pensamento conforme abaixo:

- Por um lado, existem aqueles que pensam que podem dar ordens a Deus e “determinar” que tudo que eles acham que é bom para eles deva acontecer, chamam isso de “fé”. Essa é a peça chave da “teologia da prosperidade”, e não tem base bíblica, portanto não passa de heresia = ensinamento que não é 100% puro, biblicamente falando. As heresias fluem naturalmente onde as pessoas querem tanto receber de Deus, mas não desejam se submeter a Ele e à Sua Palavra. Nesse contexto vale tudo em nome da fé, em nome de Deus, do Espírito Santo e da unção. É onde acontecem as maiores loucuras.

- No outro extremo, temos aqueles que apesar de professarem “fé” em Deus, vivem diferentemente do que professam. Alguns se assemelham ao primeiro grupo quando desejam determinar o que Deus pode e não pode fazer, ou o que Ele fará ou não fará, ou o modo como Ele fará alguma coisa. Muitos desses parecem que querem dominar o Criador, colocando regras para a Sua ação soberana, como se assim pudessem fazer. Na sua loucura eles tentam explicar o inexplicável e em seus corações não têm mais espaço para a simplicidade da fé. Nessa louca e talvez inconsciente tentativa de “humanizar” o divino, Deus parece se tornar um ser muito complicado e cheio de contradições. A fé para eles é uma simples conjectura da mente e do pensamento, jamais um estilo de vida. Talvez seja essa a origem da frieza espiritual desse grupo tão emergente em nossos dias. Nessa ala estão os que não acreditam em milagres, e nem na existência do demônio. Muitos aqui não crêem mais na inspiração das Escrituras, outros enveredaram pelo caminho do mundanismo, do pecado, e de crenças anti-bíblicas (crendices populares, horóscopo, simpatias, ocultismo, etc.). Muitos vivem iguais ao povo do mundo, freqüentam bares, bailes, baladas, etc., consomem bebidas, fumam, etc. Se tornaram escravos de sua loucura, o seu pecado os afronta e os mantém cativos. Muitos desses certamente ainda não passaram pela experiência da conversão, do novo nascimento. Outros precisam retornar ao seu primeiro amor (Ap 2:4). Também não podemos chamar isso de FÉ genuína. Pode ser algum tipo de filosofia de vida, mas não é uma vida regida pela fé bíblica.

A FÉ genuinamente bíblica é um dom (presente) de Deus (Ef 2:8), e gerará em primeiro lugar a CONVERSÃO de uma vida sem Deus, para um tipo de vida de compromisso com Deus. Essa FÉ produzirá transformações radicais de vida, verdadeiros milagres e mudanças radicais de comportamento, libertação do pecado e de vícios, santificação = o afastamento progressivo, espontâneo e voluntário das coisas que estão no mundo e desagradam a Deus, e a busca de uma vida consagrada a Deus. Quem possui essa FÉ, é também possuído por ela, ou seja, não reside total e exclusivamente na pessoa, o controle do poder dessa fé. Essa pessoa não somente buscará as bênçãos de Deus, através da fé, mas será guiado (a) por essa fé, e em cada passo que der na direção do amadurecimento espiritual, aprenderá a viver no mundo sem se contaminar com o que há no mundo. Evangelizando e vencendo obstáculos através da fé, perseverando diligentemente na fé.

A fé é a certeza de coisas que se esperam e de fatos que não se vêem (Hb 11:1) e é um pré-requisito para se agradar a Deus (Hb 11:6). Sem dúvida a FÉ é um tema maravilhoso de ser estudado na Bíblia, e todos aqueles que foram salvos em Jesus, têm essa fé verdadeira e precisam aprender mais e mais acerca dela, reverenciando assim o Seu autor e doador, não desprezando o presente mais sublime e elevado que alguém poderia receber: a FÉ.

Ainda que a sua fé seja pequena, ou que você esteja passando por momentos difíceis, que tornam essa sua fé deficiente, frágil, e você se sinta “fraco na fé”, mas se você é de Cristo, você tem a chama da fé em seus corações! Se você não tem, é porque você jamais foi salvos. Nesse caso você precisa passar pelo novo nascimento, entregando a sua vida a Cristo em arrependimento e fé, e você receberá o selo do Espírito Santo em seu coração e aí então poderá crescer em fé. Ainda você que esteja desanimado, essa centelha de fé o incendiará novamente. A nossa certeza e esperança estão em Deus, o autor e consumador da nossa fé (Hb 12:2), Ele é quem nos capacita e aviva a nossa fé, até quando estamos desanimados, frios e tristes.

Cabe a cada um de nós alimentar essa fé através da oração, da leitura devocional da palavra de Deus, do louvor e da santificação na luta contra o pecado.

Aprenda e cresça na fé através do conhecimento das Escrituras. Seja lendo e estudando aqui na Igreja, nos cultos, nas EBDs, nas quintas e terças-feiras. Quanto mais você buscar mais você crescerá. Aquele que pouco semeia, pouco ceifará, mas o que muito semeia, muito ceifará (2 Co 9:6). E diariamente em sua casa faça a sua leitura devocional, semeie na sua própria vida espiritual e na sua família. Os frutos de fé certamente virão na vida de quem semear a Palavra de Deus no seu coração.

EXPLICAÇÃO
O personagem central da história é um oficial do rei (vs.46), ou seja, ele era um oficial a serviço de Herodes Antipas, tetrarca da Galiléia. Como a fé é um dom de Deus (Ef 2:8) Ele a dá a quem Ele desejar. Aqui temos um exemplo de que não reside no homem, mas em Deus o poder da fé. Este homem seria uma das pessoas mais improváveis, humanamente falando, para ter fé. Ele servia ao homem que mandara decapitar João Batista (Mt 14:1-11). Mas os problemas da vida são também portas que se abrem, oportunidades para aprendermos mais de Deus, canais condutores da bênção de Deus através dos quais Ele vem ao nosso encontro e para nos abençoar. Esse homem certamente não imaginava que isso tudo iria lhe acontecer, mas aconteceu, e aconteceu porque Deus tinha um plano. Por isso não se desanime diante das circunstâncias difíceis da vida, tenha fé em Deus, creia e Ele te iluminará.
 

Somos informados nos vs. 47 e 52 que o menino tinha uma febre muito alta e estava à beira da morte. Nessa situação tão difícil é que esse homem foi ter um encontro com Jesus. É assim que Deus age, Ele permite a dificuldade porque através dela nós teremos um encontro com a fé e seu poder.

1 - A FÉ genuinamente bíblica não é “VER PARA CRER” (vs.48)  

O “ver para crer” é do homem, não é de Deus. Por isso que Jesus repreendeu o que seria no futuro de o pecado de Tomé (Jo 20:25): ver para crer. Pode até acontecer, na misericórdia de Deus, que alguém passe a crer se ver um sinal de Deus, mas não é essa a maneira mais correta, ou o modo bíblico de se viver pela fé. Jesus repreendeu naquele contexto a Tomé (Jo 20:29), e aqui o pai do menino também foi repreendido (vs.48). Muita, mas muita gente mesmo, vive assim: se Deus me abençoar eu vou firmar na Igreja, se Ele não abençoar eu saio. Esse é o velho “ver para crer”, ver o sinal, a bênção para crer, isso é, viver e agir pela fé, pelo “crer”. É invariavelmente o que notamos nessa grandiosa da multidão de “crentes” desse país. Se todo esse povo cresse de um modo bíblico de fato, a vida do país mudaria, porque eles mudariam o país com o seu modo de viver. Na Inglaterra do século XVIII ocorreu um grande avivamento espiritual que trouxe de novo a fé bíblica para o coração daquela nação. A história relata que bares e prostíbulos fecharam devido à queda na demanda de clientes, isto é, a vida daquele povo mudou a partir do momento que eles tiveram a experiência da fé verdadeira.

2 - A FÉ genuinamente bíblica é CRER PARA VER (vs.50) 

Diante da Palavra de Jesus aquele homem simplesmente creu na Palavra de Jesus e seguiu o seu caminho.

A Bíblia relata que ele nem chegara ainda em sua casa e os seus servos já lhe anunciavam que seu filho vivia (vs.51). Ele teve o cuidado de verificar o horário em que o menino se sentira melhor (vs.52) e reconheceu que fora precisamente nessa hora que Jesus dissera “teu filho vive” (vs.53). Certamente esses relatos não estão aqui de brincadeira e nem são informações aleatórias. Tudo isso tem um significado para nós que cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus, isto é, temos fé que esse livro não é simples papel, mas contém a revelação de Deus ao Seu povo.

Aconteceram três eventos na vida desse homem e que nos ensinam grandemente acerca da fé, como ela opera em nossas vidas, e como agimos através dela.

2.1 – Rogou a Jesus 

A fé gera oração, e a oração gera fé. Como reagimos diante de nossos problemas e desafios? Qual tem sido a nossa atitude frente às enfermidadesPrecisamos orar por fé, porque se não orarmos estamos demonstrando ausência de fé. Se crermos que Deus ouve e responde às orações, então é necessário orarmos. Esse homem não sabia muito acerca da natureza da fé em termos teológicos, mas ele orou! Isso é importante para nossa vida espiritual, precisamos de uma vida espiritual regada pela oração, em demonstração da fé que temos. Muitos discordam da frase: muita oração muito poder,

2.2 – Creu na Palavra de Jesus  

Quando Jesus disse que seu filho estava vivo ele creu e seguiu o seu caminho. Se crermos que Deus nos ouve e que a Sua Palavra é fiel, então não podemos ficar parados no caminho, não podemos permitir que a derrota nos paralise, precisamos caminhar por fé. O Senhor está conosco, o Deus de Jacó é o nosso refúgio, Ele pode todas as coisas, Ele nos ama, Ele é fiel e Todo Poderoso. O mesmo Deus que criou todas as coisas pode realizar milagres, curas, salvar e realizar grandiosas transformações de vida e libertação de qualquer pecado. Diante dos desafios que tivermos devemos fazer como aquele homem que creu e prosseguiu em sua caminhada. Ao chegar em casa seu filho estava curado. Se for da vontade de Deus, e se crermos, Ele fará qualquer coisa que pedirmos.

2.3 – Creu ele e toda sua casa  

A Palavra de Deus diz: “crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At 16:31). Foi o que aconteceu na casa desse oficial. A fé é contagiante, uma pessoa com fé pode ser usada por Deus para transmitir essa fé aos que estão ao seu derredor. É o que observamos aqui: ele foi impactado por sua própria fé, e a sua casa também foi impactada. A fé que ele tinha foi transformadora na sua vida e da sua família. A razão pela qual muitos crentes não produzem frutos, não sabem evangeliza, não ganham almas para Deus, está relacionada diretamente à essa questão. Muitos crentes desconhecem o poder que está adormecido dentro deles, muitos vivem um tipo de auto-comiseração e tristeza espiritual que é resultado direto da ausência de fé. Se queremos ganhar almas necessitamos andar pela fé, viver pela fé, ser transformados e transformar o mundo ao nosso derredor pela fé.

CONCLUSÃO 

O Salmo 105:4 nos manda buscar o poder de Deus. Esse poder só pode ser alcançado pela fé. A fé é um presente de Deus que todo crente recebe da gratuitamente de Deus. Aceitar o senhorio de Cristo em seu coração, em arrependimento de seus pecados, é fruto da fé. Essa fé deve ser alimentada e fortalecida através da obediência à Palavra de Deus. Não podemos dimensionar o que Deus pode fazer através da fé que Ele próprio nos deu. A fé é uma dádiva de Deus. Que cada um de nós possa viver e andar na fé que recebemos do Senhor. Busquemos conhece-la, viver por ela, tomar decisões através dela, ser guiados por ela, desenvolve-la, praticá-la. A fé pode remover montanhas, O mundo será impactado quando a o povo de Deus conhecer e desfrutar dessa arma poderosa que lhe foi concedida. “Agora é a hora de brilhar, brilhar com a luz do rosto divino de Cristo”. A Igreja que caminha pela fé permanecerá fiel e cheia de alegria na presença de Deus.

Material de apoio: Bíblia de Genebra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL