MUNDO BIZARRO - Família de menina de 12 anos estuprada e assassinada por muçulmanos, aceita dinheiro e encerra processo

PAQUISTÃO - Os pais de Lubna Masih, a cristã de 12 anos de idade que foi estuprada e assassinada por um grupo de muçulmanos em Rawalpindi, uma cidade do Paquistão, aceitou indenização de um milhão de rúpias (cerca de 11.600 euros, aproximadamente R$ 27 mil) para abandonar o processo judicial.

A família, ainda de luto, está muito triste e confusa.

Depois de uma luta entre as organizações cristãs que incentivaram os pais a rejeitarem qualquer acordo proposto, outros emissários e mediadores, incluindo vários membros do Parlamento, Saleem e Guddi Masih cederam e aceitaram a contribuição significativa, que encerra o caso de acordo com as leis paquistanesas. Saleem, o pai de Lubna, disse: "Eu perdôo os homens que mataram a minha filha. Nós vamos começar uma vida nova".

Karman, irmão de Salim, disse que "estão chateados, mas a decisão cabe a eles." Gudde, devastado pela dor não pôde pronunciar uma palavra. Life for All, uma ONG cristã que tem lutado contra a impunidade e para levantar a questão da violência contra os cristãos, declarou, com pesar:

"Se os pais não têm sequer a força para defender a memória de sua filha, ninguém pode fazer nada”.

As negociações foram feitas pela organização "Ephlal Ministry", especializada em mediação civil e jurídica. A organização levará 20% do montante acordado. Dentre os fatores determinantes a pobreza e as privações da família Masih foram os principais.

Fontes apontam que "a técnica de comprar o silêncio das vítimas não é novidade e faz parte da distribuição desigual de forças no campo: as famílias cristãs são muitas vezes as últimas na escala social e são forçadas a confrontar os membros de classe média alta ou ricos proprietários de terras muçulmanos".

Em resposta aos muitos casos de violência contra meninas cristãs, em março último, o presidente do Paquistão, Ali Zardari, anunciou a criação de uma "linha telefônica direta" com um escritório de resposta, para relatar os casos mais graves de violência contra as minorias religiosas.

Zardari, de acordo com o ministro das minorias religiosas, Shahbaz Bhatti, também apelou à criação de uma comissão internacional para o diálogo com o governo e resoluções às questões mais urgentes. A comunidade cristã presente apoiou o projeto, mas nenhuma dessas iniciativas ainda se concretizou.

Fonte: LPC / International Christian Concern / Portas Abertas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL