A DEPRESSÃO DE ELIAS

“... se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte... ”
 1 Reis 19:4a.

Ele tirou os olhos de Deus e os colocou nas circunstâncias (1 Rs 19:2). Num dado momento, Elias pensou que sua vida dependia da ímpia Jezabel e não de Deus. Por isso, temeu e fugiu. Sempre que tiramos nossos olhos de Deus para colocá-los nas circunstâncias adversas afundamos num pântano de desespero.

Elias também entrou na caverna da solidão quando ele mais precisava de pessoas à sua volta (1 Rs 19:3). A depressão nos prega essa peça: quando mais precisamos de companhia queremos nos trancar nos quartos escuros. Elias dispensou o seu moço, quando mais precisava dele.

Ele fez uma leitura pessimista da situação (1 Rs 19:4,10) e pensou que só ele havia permanecido fiel a Deus naquela avalanche de apostasia, mas Deus lhe afirmou que havia mais sete mil que tinham permanecido firmes na fé. Elias olhou para a vida com óculos escuros. Seu horizonte estava embaçado. Suas esperanças povoadas por um nevoeiro denso. Uma pessoa deprimida é quase sempre assaltada por um pessimismo doentio.

Ore
Deus todo-poderoso, se houverem em mim os mesmos sintomas que sufocaram a vida de Elias, peço-Te: ergue-me e sustenta-me com os Teus fortes braços. Em nome de Jesus. Amém.

Pense
A solidão é uma péssima companheira para quem está deprimido. Cristo jamais nos abandona.

Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL