AMIZADE VERDADEIRA

“Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.” 
Provérbios 17:17.

O verdadeiro amigo se aproxima não para tirar-lhe algo, mas para oferecer-lhe tudo, sua amizade. Há duas caricaturas de amizade, que não passam de uma falsa amizade. A primeira é a amizade tabernária (taberna = bar). Nenhuma ligação existe entre os amigos “tabernários” além do desejo comum de tomar uns copos, de maldizer o próximo e fazer farra. Esses amigos dispersam-se na hora da angústia, como os amigos do filho pródigo fugiram (Lc 15:11ss).

A segunda amizade falsa é a amizade utilitária. É a daqueles para quem todo “amigo” é um meio ou potencial de facilitar-lhes os interesses. Essa amizade é uma espécie de pesca de favores. Essa amizade constitui-se numa ameaça para a moralidade pública. Distribuem-se os cargos não pelos méritos pessoais dos candidatos, mas pelo número de “amigos” que possuem. 


Mas, se há amizade falsa, existe também a amizade verdadeira. O amigo verdadeiro ama o tempo todo. O vendaval só conseguirá que os verdadeiros amigos fixem raízes mais profundas no solo do amor eterno.

Ore
Senhor, quero ser esse amigo descrito em Tua palavra. Alguém que se torna mais próximo quando na dor e não por interesses ou conveniências. Mande-me amigos assim também. Em Cristo Jesus, amém.

Pense
Amigo é o primeiro a entrar, depois de todos terem abandonado a casa.

Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL