JEJUM: FOME DE DEUS

“Mas esta casta 
não se 
expele 
senão por meio 
de oração 
e jejum.”
Mateus 17:21.

A nossa maior necessidade não é das bênçãos de Deus, mas do Deus das bênçãos. O comer lembra-nos os dons de Deus, o jejuar lembra-nos o Deus doador. Jejum é privar-nos do pão da Terra, para alimentar-nos com o pão do céu. Quando comemos, saboreamos o emblema do alimento celestial, o Pão da Vida.

E quando jejuamos, dizemos: Eu amo a realidade acima do emblema. Quando comemos nos alimentamos do símbolo, quando jejuamos nos alimentamos da essência. O jejum não é apenas uma prática religiosa de grande valor, é fome de Deus.

O maior inimigo da fome de Deus não é o veneno, mas uma torta de maçã. Muitas vezes, o que nos priva da fome de Deus não é o veneno do mal, mas os prazeres da Terra.

Se não estamos sentindo desejo pela manifestação da glória de Deus em nossa vida, não é porque já temos bebido o suficiente das fontes de Deus, mas porque estamos nos alimentando apenas das mesas do mundo. 
É tempo de jejuar! O jejum é o maná do Céu para a nossa alma.

Ore
Senhor, desperta em mim a necessidade de jejuar mais, pois através da prática sincera do jejum participarei dos teus banquetes e saborearei as doces iguarias do Céu! Em Cristo. Amém.

Pense
Quanto mais jejuamos, mais sentimos o sabor do pão do Céu.


Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL