INTRODUÇÃO GERAL AO NOVO TESTAMENTO

Por: Rev. Ivan Pereira Guedes

Prólogo

Há certamente vários métodos para efetuarmos um estudo da Bíblia, entre os quais temos:

- Sintético [2] – um estudo panorâmico da Bíblia, de modo a adquirimos uma visão global da sua mensagem.

- Analítico [3] – um estudo da Bíblia onde se analisa pericope por pericope a fim de se obter uma compreensão mais profunda do texto.

- Doutrinário ou Teológico [4] – um estudo da Bíblia segundo seus muitos tópicos e doutrinas que estão explicitas ou implícitas em seus textos.

- Histórico [5] – um estudo da Bíblia levando em consideração o seu contexto histórico.

O Sintético, ou Panorâmico, atende adequadamente ao estudante iniciante. Através desta aproximação sintética, seremos capazes de contemplarmos a floresta inteira, de modo que mais tarde poderemos explorá-la em todas as suas variedades e particularidades.

Introdução Geral
O Novo Testamento é um registro de eventos históricos. Estes eventos estão centralizados na época e obra de nosso Senhor Jesus Cristo – sua vida, morte, ressurreição, ascensão, e a continuação de sua obra no mundo – em que também consiste toda a estrutura e propósito do Antigo Testamento. Além disso, é o registro fidedigno da história sacra, que sacra se distingui nitidamente da história secular, pois cremos que foi escrita sob a orientação sobrenatural do Espírito Santo. Por esta razão tanto o Velho Testamento como o Novo Testamento estão protegidos de erro humano e possui a autoridade divina para igreja hoje e por toda a história humana até que o Senhor Jesus Cristo venha.

(Continua).

NOTAS
[1] Este material foi utilizado em aulas ministradas nos centros acadêmicos: Seminário Bíblico Brasileiro (SP); Faculdade de Teologia Integral (Arujá); Instituto Bíblico Presbiteriano - Rev. João Silva (SP).

[2] “O vocabulário sintético se deriva da preposição grega ‘syn’, que significa – junto com – e da raiz verbal ‘the’ que quer dizer – pôr – pelo que a reunião das partes significa ‘contiguidade’ ou ‘justaposição’. O método sintético ignora os detalhes e trta exclusivamente da interpretação de um documento como um todo. ”MERRILL C. TENNEY – Gálatas: Escrituras da Liberdade Cristã, Edições Vida Nova, São Paulo, 1967, p. 25

[3] “O método Analítico consiste em três estágios distintos: o esboço mecânico, que envolve a reescrituração do texto de forma a revelar sua estrutura gramatical para depreender o sentido, como o pensamento íntimo do texto está relacionado entre si, e o registro de observações pessoais sobre o texto, assim analisando, a fim de encontrar tanto as verdade explícitas como as verdades implícitas ali contidas.” MERRILL C. TENNEY. op. cit., p. 204-205.

[4] “Essas verdades centrais aparecem em cada livro do Novo Testamento, embora não sejam abordadas de modo patentemente sistemático. A comparação cuidadosa da fraseologia de qualquer livro isolado freqüentemente oferecerá um grupo representativo das principais premissas  que sublinham seu ensino particular...(1) a tentativa de definir as implicações que sublinham o ensino do livro. (2) a codificação de tópicos dos ensinamentos explícitos que são proeminentes no texto e (3) o tratamento separado de qualquer seção do livro que possa ser predominantemente teológica em seu caráter. A aplicação dos ensinos assim descobertos é a tarefa final do expositor.” MERRILL C. TENNEY. Ibid., p. 137-138.

[5] “Alusões a acontecimentos contemporâneos, a lugares, a tendências e movimentos, bem como as questões próprias da época em que na obra foi escrita, sempre devem ser explicadas a fim de iluminar claramente o pensamento expresso na obra. Somente a medida que o ensinamento de qualquer volume pode ser visto no contexto mais lato da situação que o produziu é que pode obter uma verdadeira perspectiva de sua significação” MERRILL C, TENNEY. Ibid., p. 116.


Extraído de Reflexão Bíblica.
O Rev. Ivan Pereira Guedes é pastor titular da IPB de Vicente de Carvalho, Presbitério de Santos, SP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL