O HÁBITO DE EXPLODIR

Conta-se a história de um monge que tinha o hábito de explodir em acessos de fúria e culpar seus companheiros quando as coisas davam errado. Decidiu afastar-se da causa de seus problemas e foi para um mosteiro do deserto, onde praticamente não tinha contato com outros seres humanos.

Certa manhã, após instalar-se em sua nova morada, esbarrou acidentalmente no cântaro de água e lhe derramou o conteúdo. Ficou enfurecido, mas não havia ninguém por perto a quem culpar. Encheu novamente o cântaro. Pouco tempo depois, o mesmo fato se repetiu. Num ímpeto de ira, arremessou o cântaro ao chão, fazendo-o em pedacinhos.

Depois de acalmar-se, começou a refletir e chegou à conclusão de que seu mau humor era problema dele mesmo, e não dos outros.



Dica do Professor Gonçalo Pontes Júnior
Ficar de mau humor ou de bom, será sempre uma escolha só sua! Para você pensar, deixo-lhe a seguinte indagação: Quantas pessoas desejariam hoje se encontrar em seu lugar? O número que encontrares é o mesmo número que não te dá o direito de perder o humor. Ah, não esqueça daqueles que se encontram nesse momento sem ter o que comer, sem dinheiro para remédios ou, ainda, sem uma família!

www.gpontes.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL