O HÁBITO DE EXPLODIR

Conta-se a história de um monge que tinha o hábito de explodir em acessos de fúria e culpar seus companheiros quando as coisas davam errado. Decidiu afastar-se da causa de seus problemas e foi para um mosteiro do deserto, onde praticamente não tinha contato com outros seres humanos.

Certa manhã, após instalar-se em sua nova morada, esbarrou acidentalmente no cântaro de água e lhe derramou o conteúdo. Ficou enfurecido, mas não havia ninguém por perto a quem culpar. Encheu novamente o cântaro. Pouco tempo depois, o mesmo fato se repetiu. Num ímpeto de ira, arremessou o cântaro ao chão, fazendo-o em pedacinhos.

Depois de acalmar-se, começou a refletir e chegou à conclusão de que seu mau humor era problema dele mesmo, e não dos outros.



Dica do Professor Gonçalo Pontes Júnior
Ficar de mau humor ou de bom, será sempre uma escolha só sua! Para você pensar, deixo-lhe a seguinte indagação: Quantas pessoas desejariam hoje se encontrar em seu lugar? O número que encontrares é o mesmo número que não te dá o direito de perder o humor. Ah, não esqueça daqueles que se encontram nesse momento sem ter o que comer, sem dinheiro para remédios ou, ainda, sem uma família!

www.gpontes.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT