A ENTRADA DE JESUS EM JERUSALÉM

Pastoral 

“Eis aí te vem o teu Rei, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de animal de carga.” Mateus 21:5.

No dia em que Jesus entrou em Jerusalém, montado em um jumentinho, cumpriu-se a profecia de Zacarias 9:9. Nesse dia Jesus foi recebido pelas multidões que clamavam: “Hosana ao filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas maiores alturas!” (Mt 21:9b). Porém, Jesus já havia avisado aos seus discípulos, quando eles estavam na Galiléia, que Ele seria “entregue nas mãos dos homens”, que estes o iriam matar, mas que ao terceiro dia Ele iria ressuscitar (Mt 17:22,23; ver também Mt 16:21; 20:17,18).


A entrada de Jesus em Jerusalém é triunfal, não pelos gritos do povo, mas porque Ele entrou ali consciente de tudo que lhe iria ocorrer; entrou como o Rei da glória celestial, que se encarnou para realizar uma grandiosa e inescrutável obra de salvação. Ele que reina eternamente, reinou e dirigiu cada evento que culminou com a Sua triunfante obra de redenção na cruz do Calvário, e sua gloriosa ressurreição. 

O que mais nos chama a atenção nesse texto, é a humildade demonstrada pelo Senhor. Ele que é o Senhor sobre todas as coisas, se despojou de Sua glória e vestiu-se de carne, sem, contudo, deixar de ser Deus. Assim, 100% homem, e 100% Deus, Jesus entra em Jerusalém. As multidões O receberam com Hosana, que significa “Oh, salva-nos Senhor”. Alguns estendiam vestes no caminho, outros cortavam ramos de árvores e espalhavam-nos na estrada (Mt 21:8), por isso esse domingo passou a ser chamado de “domingo de ramos”. Porém, toda essa manifestação de amor e alegria revelou-se ser de mera superficialidade, pois alguns dias depois desse, precisamente na sexta-feira, muitos dos que aqui O adoravam, passaram a dizer: “crucifica-O, crucifica-O”. Façamos uma reflexão, para que essa superficialidade não nos alcance também! O compromisso com Jesus está ligado diretamente ao compromisso com a Igreja, que é o Seu corpo.

A determinação de Jesus deve nos inspirar em nossa caminhada. Jesus sabia perfeitamente que iriam conspirar contra Ele , armariam laço aos seus pés , Ele iria ser traído, humilhado, crucificado e morto. Entrando em Jerusalém, aclamado como Rei, ele era como o Cordeiro que vai para o matadouro (Isaías 53:7). “A minha vida, ninguém tira de Mim, Eu espontaneamente a dou” (João 10:18). 


Ele se entregou por nós. Ele está vivo! Morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou. Entreguemo-nos a Ele, que nossas vidas sejam como oferta voluntária para o louvor da Sua glória.

Uma ótima semana. Seu servo em Cristo,
Rev. Paulo Sergio da Silva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT