QUAL A ORIGEM DO CARNAVAL?

Na imagem acima, os bombeiros tentam apagar as chamas que surgiram em uma das mãos da imagem do diabo, que momentos antes fora saudada calorosamente por seus fiéis súditos, que participavam do "ritual pagão" na Marquês de Sapucaí / RJ.

A história do carnaval começa no princípio da civilização, na origem dos rituais, nas celebrações da fertilidade e da colheita nas primeiras lavouras, às margens do Nilo, há seis mil anos atrás. Foram na intenção da deusa ísis, no Egito Antigo, as primeiras celebrações carnavalescas. Com a evolução da sociedade grega evoluíram os rituais, acrescidos da bebida e do sexo, nos cultos ao deus dionísus com as celebrações dionisíacas. Na Roma antiga, bacanais saturnais (glórias ao deus saturno) e lupercais festejavam os deuses baco, saturno e pã.

A sociedade clássica acrescentou ainda uma função política de distenção social às celebrações, tolerando o espírito satírico, a crítica aos governos e governantes nos festejos. Esses festejos eram tão importantes para eles, que tribunais e escolas fechavam as portas durante o evento, e as pessoas saíam às ruas para dançar. A euforia era geral. Na abertura dessas festas ao deus saturno, carros buscando semelhança a navios saíam na "avenida", com homens e mulheres nus. Estes eram chamados os “carrum navalis”, daí surgiu a expressão “carnevale” que aportuguesada tornou-se “carnaval”.

No século XV o Papa Paulo II contribuiu para a “evolução” do carnaval, introduzindo o baile de máscaras quando permitiu que em frente ao seu palácio em Roma, se realizasse o carnaval romano. Como a Igreja proibira as manifestações sexuais no festejo, novas manifestações adquiriram forma: corridas, desfiles, fantasias, deboche e morbidez. Depois do Egito, o primeiro, do segundo em Grécia e Roma Antigas e do terceiro, no Renascimento Europeu, particularmente em Veneza, o carnaval encontrou no Rio de Janeiro / Brasil, o seu quarto centro, resgatando o espírito de baco e dionisus.

Hiram Araújo, estudioso do carnaval.
Extraído de www.artes.com/carnaval/historia.html

“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.” 1 Co 6:9,10.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO